Aumenta o número de roubos a lojas em Guarapari, a ação dos criminosos tem acontecido principalmente na madrugada. Somente na última semana uma academia em Muquiçaba foi invadida duas vezes, já na madrugada de quarta-feira, um estabelecimento comercial de moda praia em frente à Praia das Castanheiras também foi invadido e produtos foram furtados. O que chama atenção é que boa parte das lojas têm câmeras de monitoramento e até mesmo alarmes, mas isso não tem inibido a ação dos bandidos.

Primeira invasão. De acordo com João Cláudio Castro, proprietário da academia, a primeira invasão – que aconteceu na madrugada de sábado (3) às 3h45min – durou entre três e cinco minutos, o indivíduo que foi flagrado pela câmera de segurança levou um notebook. “Nessa ação, o indivíduo entrou pela janela frontal da academia”, afirmou João Cláudio.

Janela que o indivíduo quebrou para acessar a academia

Segunda invasão. O segundo roubo foi na madrugada de domingo (4). “Na madrugada seguinte, já eram seis horas da manhã e ele invadiu novamente pela janela, como nós tínhamos feito um reforço, ele não conseguiu arrombar e acabou quebrando a janela pra poder entrar. Ele foi até a nossa televisão, pendurou pra arrancar, conseguiu levar, mas deixou cair, quebrou toda a televisão. Não contente, ele foi até a nossa recepção, arrancou todos os cabos pra levar outro computador e acabou levando também uma maquininha de cartão”, afirmou o proprietário da academia ressaltando que as duas invasões foram feitas pelo mesmo indivíduo, conforme registrado na câmera de segurança.

Televisão levada pelo criminoso

“Acreditamos que o indivíduo seja usuário de drogas, porque levar até uma maquininha de cartão, até mesmo pela recorrência, em menos de vinte e quatro horas querer roubar o mesmo lugar”, afirmou João Cláudio que foi acionado pela empresa de segurança após os roubos.

Moradores de rua. João Cláudio alega que em frente ao seu estabelecimento há um número muito grande de moradores de rua e não acredita na redução desse número divulgada recentemente pela Prefeitura Municipal. “Estamos tendo um grupinho de moradores que já estão há muito tempo dormindo em frente ao nosso estabelecimento. Fazem sujeira, tem alguns usuários de drogas, está gerando um grande transtorno, a gente fica meio sem o que fazer, a gente se sente ameaçada o tempo todo”, finalizou João que contabiliza um prejuízo de aproximadamente R$ 6 mil reais.

Arrombamento no Centro da cidade. O outro arrombamento aconteceu no Centro de Guarapari, em uma loja de moda praia localizada em frente à Praia das Castanheiras. O fato aconteceu na madrugada dessa quarta-feira (7), um homem usou uma ferramenta para quebrar a porta do comércio. O prejuízo do proprietário da loja de moda praia deve ultrapassar os R$ 3 mil reais, em função da porta de vidro quebrada e de 15 bermudas que foram levadas.

Confira aqui o vídeo dos arrombamentos:

Os proprietários dos estabelecimentos registraram boletim de ocorrência e aguardam ação das autoridades. Procuramos a Polícia Militar para saber o que tem sido feito para aumentar a segurança da população e para que os lojistas trabalhem com tranquilidade. Recebemos o seguinte retorno da PM:

“A Polícia Militar informa que o patrulhamento é feito no município com viaturas e motopatrulhas, diuturnamente. Os policiais realizam abordagens a indivíduos quando há denúncias ou fundada suspeita, e ao encontrar algo de ilícito, eles são conduzidos à delegacia. Conclamamos a toda sociedade a colaborar com o trabalho da polícia denunciando situações suspeitas por meio do 190 ou 181”.

Procuramos também a Prefeitura Municipal de Guarapari para saber o que tem sido feito para reduzir o número de moradores de ruas na cidade e aumentar a segurança.

“A Secretaria Municipal de Trabalho, Assistência e Cidadania (Setac) informa que conforme divulgado anteriormente, no ultimo mês foi apresentado redução no número de moradores em situação de rua. Os dados da última semana já estão sendo contabilizados e serão divulgados em breve. Quanto a situação dos arrombamentos, esta questão deve ser tratada diretamente com a Polícia Militar”.

 

Deixe seu comentário