Banner TOP
JB Padrão

Seja na busca por saúde, bom preparo físico ou no sonho do corpo perfeito, as corridas de rua têm se popularizado cada dia mais e ganhado novos adeptos, prova disso é o aumento tanto do número de provas, quanto de inscritos. As Dez Milhas Garoto, por exemplo, que aconteceram no último dia 02 de setembro, contaram com participação de aproximadamente 12 mil pessoas.

Entendendo o que é uma maratona. De acordo com o professor Thiago Gaigher, profissional de Educação Física, as corridas de rua são muito populares e realizadas nas vias urbanas pavimentadas. As distâncias vão de 5 km até a maratona, que é uma corrida mais longa, que exige um preparo maior, em que o esportista faz o percurso de 42,195km.

Professor Thiago Gaigher, profissional de Educação Física

Mais saúde. O saldo dessa busca intensa pela prática de esportes é muito positivo, ainda que poucos olhem para o lado da qualidade de vida, devemos compreender que a “prática de exercício físico é um tratamento preventivo de inúmeras doenças e também funciona como uma fórmula, auxiliando no tratamento das doenças”, afirma Tony Bérgamo, Personal Trainer.

Tony Bérgamo, Personal Trainer.

Náysa Taboada, professora e pedagoga, que corre há 06 anos conta que sempre gostou de atividade física, mas o diagnóstico para o acompanhamento de tireóide a deixou mais disciplinada, embora exercitar-se sempre tenha feito parte de sua rotina e participou pela 6ª vez das Milhas Garoto.

Náysa, que tem uma coleção de mais de 60 medalhas em provas, participou das Dez Milhas Garoto e de muitas outras corridas de rua, mas sua primeira maratona foi em 2017, na cidade do Rio de Janeiro “uma prova emocionante com um percurso lindo, desde então já realizei outra maratona em janeiro (fora do país) e está prevista a terceira participação em Maratonas em Outubro (14) 1º Maratona da Caixa ES saindo de Guarapari, passando por Vila Velha, chegando na Praia de Camburi em Vitória”, afirma.

Náysa Taboada, professora e pedagoga

A corredora faz treinamentos de fortalecimento muscular duas vezes na semana com Personal e é aluna de um tima de corrida.“Foi onde tudo começou”, afirma. Para ela, participar de uma maratona é “uma sensação indescritível, de realização pessoal, alegria, satisfação, prazer, conquista, um sonho. Enfim… terminei minhas duas maratonas muito bem e muito feliz”.

Maestro. Inárley Carletti, Maestro, corre há 08 anos e participou pela 5ª vez da prova Dez Milhas Garoto e, assim como Náysa, de muitas outras provas. Afirma que por ser “cantor de ópera, o condicionamento físico é muito importante para certos papéis, comecei a observar que somente a atividade física (musculação) não supria essa lacuna, daí comecei a correr em treinos leves e peguei gosto, pois além de ter aumentado meu condicionamento físico, aumentou também a minha capacidade respiratória”.

Áustria. Tendo participado de 79 corridas oficiais, 3 meias maratonas e 01 maratona, o maestro afirma que a maratona da qual participou foi em Viena, na Áustria e sua maior dificuldade foi por causa da temperatura de quase zero grau. Inárley conta que embora achasse que não conseguiria no início, a sensação ao final da maratona foi ótima: “mesmo com todo o cansaço e o peso das pernas, sua mente está leve”. O esportista já participou de grupos, mas, em função de sua agenda apertada, hoje corre sozinho três vezes por semana, em treinos que variam de 8 a 14 km. 

Inárley Carletti, Maestro, corre há 08 anos.

Esporte acessível. O especialista Tony, que já cuidou do preparo físico de corredores, considera que a corrida é uma ótima opção para quem não gosta de academia ou para quem quer economizar, pois o gasto essencial para esse tipo de atividade é com a compra de um bom tênis, mas é também uma opção para pessoas que sofrem de depressão ou têm crises de ansiedade. “O fato é que muitos descobrem ao ar livre – porque as pessoas andam muito estressadas também – uma forma de se relaxar e ao mesmo tempo de se exercitar”, afirma.

Se exercite com segurança. Para quem quer começar a correr com segurança, Tony afirma ser importante que as pessoas passem por uma bateria de exames, ou pelo menos por um cardiologista que liberará para a prática de atividade física. Não havendo condições de contratar um personal, que seria o ideal, principalmente para quem quer correr maratonas, “uma consultoria pode ser feita por um profissional de educação física explicando um pouco mais sobre a metodologia da corrida, conversando com ele sobre dicas de treinamento em fase de iniciação”.

“Qualquer pessoa pode correr”, afirma o especialista, mas enfatiza que indivíduos sedentários devem começar com moderação, assim, após passar por pelo menos um exame cardiológico e por uma consultoria, “o interessante é que a pessoa comece com uma caminhada e que em alguns momentos ela dê tiros que podem ser periodizados por minutos ou distâncias de 100, 200, 300 metros. Após algum tempo, a pessoa certamente encontrará seu ritmo, afirma”.

A dica de Náysa, que corre com seu marido, é que para começar a correr é “só começar. Aos pouquinhos, com acompanhamento de um profissional da área e se possível em grupo”, indica sua conta no instagram @maridoemaridacorredores. Para Inárley, “o importante é começar devagar, para não se lesionar, no mais, o cérebro se encarrega de liberar as substâncias quer se encarregarão do prazer desta atividade contagiante”.

Banner Marcelo
Institucional Basic Idiomas
Institucional MAllagutti

Padrão

2 COMENTÁRIOS

  1. Também é grande o número de + de 60 anos praticando corrida de Ruas.
    Moro no Bairro Itapebussu, tenho 65 anos e completei este mês 100 corridas oficiais, dentre elas:
    5 São Silvestres
    2 Pampulhas BH
    1 São Sebastião RJ
    6 Dez Milhas Garoto
    1 Meia Maratona, etc.

  2. Parabéns professora Ravena, ótima reportagem.
    E lhe incentivo a fazer mais dessa área de corrida, Saúde , Educação Física no geral pois vai agregar muito ao seus trabalhos jornalísticos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here