A CPI dos shows de Guarapari realizou mais uma reunião que foi bastante movimentada na manhã de hoje (20) na Câmara Municipal da cidade. A CPI investiga supostas irregularidades na contratação de shows na cidade e tem ouvido diversas pessoas para realizar as suas investigações.

A investigação está sendo realizada pelos vereadores Denizart Luiz (PSDB), Clebinho Brambati (PTB) e Thiago Paterlini (MDB), que são presidente, relator e membro, respectivamente.

Para os depoimentos de hoje foram convocados o maestro Mauro e também o ex-secretário Anderson Arpini. O maestro não compareceu por motivos de trabalho. O ex-secretário Anderson, que trabalhou na Secretaria Municipal de Turismo e também na de Fiscalização, foi ouvido e respondeu todas as perguntas feitas pelo relator, o vereador Denizart.

O ex-secretário Anderson, que trabalhou na Secretaria Municipal de Turismo e também na de Fiscalização, foi ouvido e respondeu todas as perguntas feitas pelo relator, o vereador Denizart.

Contratações. Ele respondeu que todas contratações para os shows e para o carnaval eram definidas diretamente pelo secretário e pelo prefeito. E afirmou que não tinha nenhuma influência nessas contratações. “Em nenhum momento eu contratei nenhum artista. Quem contrata é o prefeito e o secretário”, disse Arpini.

Sem conhecimento. Ele disse que assim que percebeu fatos que não concordava, deixou de ser fiscal de contratos dessas contratações e posteriormente deixou a prefeitura. Perguntado sobre a licitação do carnaval, ele disse que não teve conhecimento dos detalhes dessa contratação.

Sobre a contratação de uma empresa que seria de sua esposa, o ex-secretário negou que fosse casado com a pessoa em questão e perguntou sobre documentos comprobatórios dessas suposta ilegalidade aos vereadores, que disseram não ter esses documentos.

Denúncias. Após responder todas as perguntas da CPI, o ex-secretário Anderson Arpini pediu a palavra e falou por mais de meia hora, fazendo diversas denúncias contra a presidência da Câmara e alegou que essas CPIs são uma articulação política, apenas para tirar o prefeito Edson Magalhães do poder.

O ex-secretário disse ter como provar e que iria protocolar essas supostas denúncias na Câmara, diretamente para o gabinete do vereador Denizart Luiz (PSDB), reafirmando que os vereadores que compõem a CPI não tem nada com essa suposta articulação para derrubar o prefeito e pediu que Denizart investigasse as denúncias.

Ao Portal 27, o vereador Denizart disse que. “Todas as denúncias nós vamos averiguar. Nada vai ficar parado nessa casa de leis. Vamos averiguar a legalidade ou ilegalidade”, disse. Mais detalhes sobre os acontecimentos durante a CPI dos shows de hoje, você verá em outras matérias aqui em nosso site.