A pesquisa realizada pela Rede Vitória/Futura durante os dias 7 e 8 de outubro, mostra que na espontânea o atual prefeito Edson Magalhães como favorito para ocupar a cadeira do executivo municipal, e por outro lado o candidato lidera a rejeição na cidade.

Na espontânea, não são apresentados nomes dos candidatos e o entrevistado fala o que lhe vem à cabeça quando é questionado em quem pretende votar.

Atual prefeito lidera as pesquisas.

Oito, dos 10 candidatos aparecem na espontânea. Edson Magalhães com 21,5% das intenções de voto, seguido por Carlos Von 12,8%, Gedson Merízio 3,8%, Oziel de Sousa 1,8%, Fernanda Mazzelli 1%, Maria Helena 1%, Coronel Ferrari 0,5%, Bárbara Hora 0,3%. 

Ainda neste modelo, foi registrado o maior número de indecisos/não responderam/não souberam responder, com 42,5% e o maior número de intenções de voto branco/nulo/ninguém, com 14,8%.

Deputado aparece em segundo lugar.

Estimulada. Na pesquisa estimulada, quando são apresentados os nomes dos 10 candidatos, um cenário diferente é apresentado.

Neste modelo a relação ficou. Edson Magalhães 29,3%, Carlos Von 22,3%, Gedson Merízio 8%, Oziel de Sousa 3,8%, Fernanda Mazzelli 3,5%, Coronel Ferrari 2%, Maria Helena 1,5%, Cláudio Paiva 0,8% e Bárbara Hora 0,5%. Fredson não pontua.

O número de não souberam responder/indecisos/não responderam ficou em 14,5%, e as intenções de voto em branco/nulo/ninguém em 14%.

Embora se mostre o favorito, o atual prefeito também é o mais rejeitado, na pesquisa com a pergunta “Em qual desses você não votaria em nenhuma hipótese?”, Edson Magalhães registrou 27,3% das respostas, seguido por Carlos Von com 9,5%.

A lista de reheição segue com Oziel de Sousa 9,5%, Coronel Ferrari 6,5%, Bárbara Hora  6,3%, Fernanda Mazzelli 6%, Gedson Merízio 5,8%, Maria Helena 4%, Cláudio Paiva 4% e Fredson 3,5%.

Os que rejeitam todos ficou em 6,8% e os que não rejeitam nenhum em 28%, o número de intenções registradas em não souberam/não responderam foi 13,5%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número ES-05420/2020.

Por João Pedro Barbosa

Deixe seu comentário