Os moradores de dois bairros de Guarapari dão bons exemplos de como melhorar o seu entorno sem depender do poder público. Eles cansaram de esperar por obras de melhorias e fizeram, eles mesmos, as mudanças no entorno de suas casas.

No bairro Kubitschek, um campinho que era usado pela população há mais de 30 anos, virou uma área de lazer e encontro para os moradores.

“Sempre usamos esta área como local de lazer. Depois de um tempo, o campinho ficou largado e várias empresas passaram a jogar entulho aqui. O mato cresceu e o terreno ficou abandonado”, relembra o professor Luciano Costa.

oradores fazendo aulas de ginástica em Kubitschek. Divulgação
oradores fazendo aulas de ginástica em Kubitschek. Divulgação

Em 2013, aproveitando a mobilização dos moradores com as manifestações daquele ano, Luciano teve a ideia de fazer um mutirão para limpar a área e restaurar o “Campo do Caranguejão”.

“Cerca de 80 pessoas participaram do mutirão. Limpamos tudo e arrecadamos dinheiro para começar a fazer a terraplanagem e o aterro das áreas alagadas. Fizemos rifas, ações entre amigos e coletamos dinheiro com os comerciantes”, conta Luciano.

Fazendo as contas, Luciano acredita que cerca de R$ 50 mil foi usado para preparar a área. “O dono da máquina que fazia a terraplanagem disse que se fosse cobrar os valores de mercado, seriam gastos aproximadamente R$ 200 mil”.

E o que é mais importante: Não há dinheiro público investido nas melhorias do terreno. Tudo foi feito com a colaboração da população, sem esperar pelo poder público.

Brinquedos feitos com pneus velhos foram colocados na área de lazer. Divulgação
Brinquedos feitos com pneus velhos foram colocados na área de lazer. Divulgação

Hoje, além do campo de futebol, que fica disponível para a população, há ainda aulas de ginástica e quadra de areia para a prática de vôlei. No local também são ministradas aulas de ginástica pela manhã, um time de Futebol Americano também faz treinos no campo e estão sendo colocados brinquedos feitos com pneus usados e aparelhos de musculação. Tudo gratuito e disponível para qualquer um.

“Alguns vereadores chegaram a fazer requerimentos na Câmara para transformar a área em local de utilidade pública, mas ficou nisso. Outros vereadores doaram R$ 50, R$ 100, mas de forma geral foi a população que investiu no local”, finaliza Luciano.

Mutirão para limpar esquina

No bairro Santa Mônica, os moradores da avenida Santa Mônica cansaram de conviver com lixo e entulho na porta de suas casas e botaram a mão na massa.

A esquina antes e depois da intervenção dos moradores
A esquina antes e depois da intervenção dos moradores

“Todo dia quando saia para trabalhar passava na esquina e via aquele monte de sujeira na esquina. O local era um ponto viciado de lixo. O cheiro era insuportável. Tinha até urubu sobrevoando a pilha de lixo e sempre que a prefeitura retirava, logo depois alguém  vinha e jogava lixo de novo”, relembra Idelsa Cristina dos Santos.

Há duas semanas ela e alguns parentes resolveram acabar com isso e deram “uma geral” na esquina. Retiraram o lixo, colocaram bancos e decorações e agora a esquina virou um ponto de encontro e lazer para os moradores.

E eles pretendem continuar as melhorias, desta vez na outra esquina que também é um ponto de despejo de entulho. “Vamos colocar bancos e areia lá também. Assim as pessoas vão parar de usar essa área como lixão”, finaliza Idelsa.

Deixe seu comentário