Com o verão se aproximando, os turistas logo estarão espalhados pelas praias de Guarapari, principalmente na Praia do Morro, uma das mais frequentadas do município. O que muitos turistas ainda não sabem é que as areias desta praia continuam apresentando médias altas de contaminação fecal, de acordo com o projeto “Balneabilidade”, realizado por alunos do curso de Ciências Biológicas de uma faculdade de Vitória. A Praia da Bacutia também fez parte da pesquisa, mas os resultados apresentaram níveis satisfatórios no período pesquisado.

Foto: Marcos Marques
Foto: Marcos Marques

A qualidade da água e das areias de algumas praias do Estado vem sendo acompanhadas por um grupo de pesquisadores da instituição desde 2013. Os resultados da pesquisa mostram que algumas praias apresentam altas contagens de bactérias do grupo coliformes e enterococos.

O coordenador da pesquisa, professor Marcus Covre, explica que “nesta etapa adotamos um novo indicador de contaminação fecal (Escherichia coli), que é mais específico para identificar a qualidade das areias e águas das praias que sofrem influência de esgoto sanitário. Constatamos que esta bactéria também apresenta concentração elevada nas areias”.

Foto: Arquivo/Projeto "Balneabilidade"
Foto: Arquivo/Projeto “Balneabilidade”

Análises microbiológicas realizadas na Praia do Morro revelam elevada contagem de bactérias de origem fecal na areia. Os dados levantados até o momento sobre a qualidade bacteriológica da areia podem ser considerados alarmantes. A praia destacou-se entre as estudadas por apresentar concentração média de Enterococos e E. coli acima dos valores máximos permissíveis.

Apesar de resultados parciais do estudo apontarem que houve uma pequena melhora na qualidade das areias, a praia ainda oferece riscos à saúde dos banhistas. “A contagem bacteriana ainda está acima do permitido pela legislação nacional e internacional. Cabe ressaltar que no Brasil não existe uma legislação específica que regulamenta o padrão de qualidade das areias das praias, sendo necessária a utilização das normas internacionais”, esclarece o professor.

Foto: Arquivo/Projeto "Balneabilidade"
Foto: Arquivo/Projeto “Balneabilidade”

Ainda de acordo com Marcus, a importância do monitoramento da qualidade microbiológica da areia e da água se dá devido ao diagnóstico da qualidade das praias, que é influenciado pelo lançamento clandestino de esgoto pela rede pluvial, além de fornecer dados para a tentativa de se estabelecer uma norma local para a avaliação da qualidade das areias, tendo como principal objetivo reduzir os riscos à saúde dos banhistas e frequentadores.

A pesquisa também menciona que especialistas defendem que apenas o contato com a areia contaminada já estabelece um fator de risco para a manifestação de gastrenterites. O resultado da análise sugere que as medidas de controle de poluição hoje adotadas no município devem ser revistas e fiscalizadas, para que os riscos à saúde dos banhistas sejam minimizados.

Nossa equipe procurou a Prefeitura de Guarapari para saber se o órgão estaria ciente da atual situação das areias da Praia do Morro e o que está sendo feito para amenizar o problema. Em nota, a prefeitura respondeu que:

“O município não foi comunicado em nenhum momento sobre tal estudo. Dessa forma, não podemos nos manifestar a respeito. Assim como o Estado, não realiza teste de contaminação da areia devido a dificuldade técnica e, por este motivo, não há registro do nível de contaminação. A cada 15 dias é realizado o teste de balneabilidade das praias de Guarapari e seus resultados são disponibilizados no site do IEMA.

A limpeza da faixa de areia é realizada diariamente pela Companhia de Desenvolvimento e Melhoramento Urbano de Guarapari (CODEG) que possui equipe específica para realização do serviço. As equipes trabalham com micro-tratores, pá mecânica e caminhão-truck, no período da madrugada, entregando a praia completamente limpa logo pela manhã.

Também são realizadas campanhas de conscientização “Praias Limpas” distribuindo sacolas para lixo, para serem descartadas posteriormente nas lixeiras colocadas em toda a extensão das praias, além de conscientizar a população sobre o descarte correto do lixo.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente informa ainda que não há rede de esgoto desembocando na areia da Praia do Morro e que 99% das residências do Bairro Praia do Morro estão devidamente ligadas à rede de esgoto. A água que chega à praia é proveniente da drenagem pluvial, que pode apresentar aspecto escurecido devido à borra de asfalto, fezes de animais e demais sujidades que são lavados para a rede na ocorrência de chuvas. Contudo, o município, em parceria com a Cesan, já vem realizando ações no sentido de localizar as ligações irregulares de esgoto na rede de drenagem pluvial que chega à Praia do Morro. Lembramos que a qualidade da água da Praia do Morro é monitorada de 15 em 15 dias.”

Deixe seu comentário