Por Fátima Davi

Todos nós ficamos consternados com as noticias sobre a morte dos bebês em Guarapari. A falta de UTI neonatal, o não cumprimento das leis do nosso País, onde cada parto deve ter a presença de um pediatra e o descaso com as familias, me lembrou duas historias da Biblia. A primeira delas está no livro de Exodo 1.15-21:

“O rei do Egito deu a Sifrá e a Puá, que eram parteiras das mulheres israelitas, a seguinte ordem: Quando vocês forem ajudar as mulheres israelitas nos seus partos, façam o seguinte: se nascer um menino, matem; mas, se nascer uma menina, deixem que viva.”

As_Dez_Pragas_do_Egito_001 (Cópia)

Porém as parteiras temiam a Deus e não fizeram o que o rei do Egito havia mandado. Pelo contrário, deixaram que os meninos vivessem.

Então o rei mandou chamar as parteiras e perguntou: Por que vocês estão fazendo isso? Por que estão deixando que os meninos vivam?

Elas responderam: É que as mulheres israelitas não são como as egípcias. Elas dão à luz com facilidade, e as crianças nascem antes que a parteira chegue.

As parteiras temiam a Deus, e por isso ele foi bom para elas e fez com que tivessem as suas próprias famílias. E o povo de Israel aumentou e se tornou muito forte”.

Sempre que leio esse texto fico impressionada com a coragem destas mulheres, Sifrá e Puá, e também com o cuidado de Deus com seu povo.

A ordem dada por Faraó foi: examinar as crianças, se fosse menino, deveria matá-los. Se fosse menina poderia viver. A atitude das parteiras diante da ordem de Faraó foi: temeram a Deus; desobedeceram a Faraó; deixaram viver os meninos e meninas.

Deus levantou naqueles dias, duas mulheres, para preservar a geração de Moisés. Satanás, através do faraó do Egito, ordenou a execução sumária dos bebes do sexo masculino.

Os nomes das parteiras, Sifrá e Puá, significam respectivamente “esplendida” e “beleza”. Em meio a tanta dor, essas mulheres se levantaram restaurando a “beleza” da vida humana. Desobedecem a ordem de uma autoridade, porque a vida humana estava em jogo.

Isso me faz pensar o quanto nossa sociedade de diversas maneiras tem atentado contra a vida das crianças. Desde o parto, passando muitas vezes por abusos físicos ou emocionais, despreparo da família, roubando a infância através da TV, com propagandas abusivas e programas imorais, estamos contribuindo, muitas vezes de forma consciente para a destruição de toda uma geração!

Satanas com seu sistema perverso intenta matar a descendência de Deus! Usando pessoas, capazes de escolher entre o mal e o bem, inteligentes mas perversas, que contribuem para a destruição de filhos e filhas gerados pelo propósito eterno do Senhor.

Outra historia foi o risco de morte enfrentado por Jesus. Mesmo sendo filho de Deus, nao houve lugar seguro para seu nascimento, sua mãe e pai nao encontraram um lugar! Logo após seu nascimento, o rei Herodes decretou um infanticídio. Jesus e sua família precisaram mudar para um outro país, fugindo da morte.

Podemos comparar o que as mulheres de nossa cidade precisam enfrentar: como se nao bastasse toda a ansiedade do nascimento de um bebê, o que é muito natural, ainda precisam se deslocar para outro município, afim de receber o tratamento adequado.

Está na hora de nos levantarmos como Sifrá e Puá, que mesmo descumprindo ordens superiores, salvaram a vida de toda uma geração. Está na hora de nos posicionarmos como Maria e José, que mesmo em face de toda as limitações, fizeram tudo o que estava ao seu alcance para proteger seu bebe, Jesus.
Chegou o momento de cobrarmos de nossas autoridades um posicionamento serio em favor a vida! Parto humanizado é realidade em muitas cidades brasileiras. Investir na saude dos bebes, é investir em homens e mulheres que farão diferença nessa Nação!

A Bíblia relata acerca de uma divindade chamada Moloque que era adorada pelos amorreus, um dos povos que habitavam a regiao de Canaã. Segundo a Wikipédia, Moloque tinha a seguinte aparência:”corpo humano com a cabeça de boi ou leão, no seu ventre havia uma cavidade em que o fogo era aceso para consumir sacrifícios”. Os bebes eram lançados nesse fogo, sacrificados para que a terra fosse assim purificada.

Essa divindade foi identificada pelos gregos antigos como Chronos, o rei mítico que por medo de ser destronado engolia seus filhos!

Tanto na historia bíblica, quanto nos mitos gregos, nascer nunca foi fácil! Cabe a nós lutar para que nem Moloque, nem Chronos, nem Faraó, nem nenhum Herodes, prevaleça!

De que forma podemos fazer isso? Como cristã, acredito que primeiramente toda essa situação nao começa no natural, mas sim no desejo satânico de impedir a vida humana. De forma incessante Satanás intenta destruir aqueles que foram criados por Deus. Precisamos buscar a Deus em oração em favor de cada gravida, de cada bebe e criança de nossa cidade! Que se comece um movimento de intercessão a Deus em favor de nossa juventude!

Mas também é necessário ações praticas onde a sociedade civil se organize. Como cidadãos dessa cidade, possamos buscar juntamente com nossos governantes uma solução para essa crise, instalada em Guarapari!

Você, seus filhos, sua família são o cumprimento da promessa do Pai, visto por João em Ap 7.9: “Depois dessas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação”. João me viu e viu você! Naquela visão, nós estávamos incluídos!

Somos criação de Deus e devemos ser preservados para fazer diferença nessa geração!