Há 4 anos a dona de casa Rosalina Lopes Bento, de 50 anos, sofre as consequências de um acidente vascular cerebral (AVC) que a deixou sem andar, sem falar, respirando através de uma traqueostomia e se alimentando por sonda.

A filha Lidiane Lopes do Nascimento, de 27 anos, mora com a mãe e seus dois filhos, de 5 e 10 anos. Ela relatou que dona Rosalina levava uma vida normal até o dia em que passou mal. “Ela dormiu bem e acordou rolando com uma dor de cabeça e já não tinha sentidos mais. Aí foi piorando e levamos ela para o hospital. Eles levaram ela com urgência para fazer a operação. Ela ficou internada por dois meses e voltou para casa assim”, lamentou Lidiane.

Dona Rosalina sofreu um AVC há quatro anos e desde então está acamada e recebendo os cuidados da filha.

Dona Rosalina foi operada no hospital São Lucas, em Vitória, e segundo Lidiane, os médicos não acreditavam na sua recuperação. “Eu perguntava se ela iria voltar ao normal e os médicos diziam que só um milagre porque a metade do cérebro dela morreu porque do AVC”. Mas com a ajuda da filha dona Rosalina voltou a falar, respira sozinha e se alimenta sem a sonda, mas ainda não anda. “Ela ficou sem falar e comendo através da sonda por um ano. Fomos treinando ela com muita dificuldade e agora graças a Deus está melhor”.

“Ela fala normal e reconhece a gente, mas algumas coisas fogem da mente dela e tem hora que fica vendo coisas que não existem e mostra para a gente. Ela também tem vontade de comer toda hora. Acaba de almoçar e daqui a pouco está com fome de novo. Foi por isso, que ela engordou assim. Ela era magrinha antes, agora acho que pesa quase uns cem quilos”, disse a filha.

Lidiane segue preocupada porque dona Rosalina tem muitas necessidades que ela não pode suprir e por isso, pede a ajuda das pessoas para poder cuidar da mãe. “Toda ajuda é bem-vinda, mas ela precisa de fraldas descartáveis tamanho G ou Extra G, roupa de cama e um colchão hospitalar porque ela tem aquele casca de ovo e sente muita dor nas costas. A cadeira de rodas ela tem uma. Mas como está muito gorda ficou pequena para ela então está precisando de outra e também de uma cadeira de banho porque a dela está bem ruim e já foi remendada um monte de vezes”.

Sem poder trabalhar para cuidar da mãe, Lidiane pede a doação de fraldas, cadeiras de rodas e de banho e um colchão hospitalar.

A jovem disse ainda que também precisa da doação de dois rolos de fios de seis milímetros para poder mudar a instalação elétrica da casa e colocar um chuveiro elétrico para dona Rosalina poder tomar banho quente. “A instalação não aguenta o chuveiro então ela não tem como tomar banho quente e agora está muito frio”.

Para cuidar da mãe doente Lidiane não pode trabalhar e por isso, a família também passa por dificuldades. “Não tenho como trabalhar porque cuido dela então faço tudo com o benefício do INSS dela. Alguns remédios consigo no posto e outros tenho que comprar. Como é pouquinho dinheiro às vezes não sobra para mais nada. Vai tudo com remédios e fraldas para ela e não dá nem para comprar a comida direito”.

Quem puder ajudar a família pode entrar em contato com a Lidiane no telefone 99816-7740.

 

Comments are closed.