Na sexta-feira da semana passada (12), a Micromix, em parceira com duas empresas, uma chamada Programa de Apoio a Qualificação (PAQ) e outra intitulada Banco Nacional de Empregos (BNE), realizaram uma prova de seleção com diversos jovens para, segundo eles, cadastrar estagiários, com idade entre 14 e 18 anos, que se aprovados, iriam participar do programa Menor Aprendiz, coordenado pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). Esse programa tem o objetivo de inserir socialmente os jovens através do trabalho, além de promover a geração de renda, em forma de auxílio financeiro.

QUEM DIVULGOU O CURSO?

De acordo com a Micromix, quem divulgou essa oportunidade nas escolas públicas de Guarapari, através de uma ficha (cheia de erros de português por sinal), teriam sido os responsáveis pelas empresas PAQ e BNE.

Eles teriam entregado fichas para os alunos, que deveriam ser preenchidas com os dados pessoais. Por serem menores de idade, era preciso também a assinatura do responsável. Em busca desse sonho, uma enorme fila tomou todo o quarteirão próximo a Micromix. De acordo com informações da própria escola, foram cerca de 1.500 jovens tentando a inscrição.

Foto: Roberta Bourguignon.
Foto: Roberta Bourguignon.

FRAUDE

O problema é que os jovens que participaram deste processo seletivo, dizem ter disso vítimas de uma fraude, pois a prova não daria acesso a nada relativo ao programa Jovem Aprendiz, que é oferecido pela CIEE.  Na verdade eles estariam “ganhando” um curso, onde deveriam pagar cerca de R$ 150 reais.

Confira abaixo o depoimento da aluna (que não vamos identificar)

PAIS

De acordo com os pais de alguns alunos, ouvidos pelo Portal 27, e que acompanharam seus filhos na seleção, uma palestra foi dada, explicando tudo sobre o projeto. Nesta palestra, muitas siglas teriam sido usadas, tentando associar as provas e os cursos, oferecidos por eles, a programas do governo federal, como o programa de aceleração do crescimento (PAC) e ao próprio CIEE.

Confira abaixo o depoimento de um pai de aluno (que não vamos identificar)

Nossa equipe ouviu ainda diretores e professores das escolas onde foram abordados os alunos e entregues as fichas. Eles garantiram que os palestrantes afirmaram ser do programa Menor Aprendiz e que mencionaram o CIEE e o BNE. “Se eles não tivessem dito isso, nenhum de nós teria deixado eles entrarem”, disse um diretor que preferiu não se identificar.

CIEE

A reportagem do Portal 27, também entrou em contato com o CIEE na segunda-feira (15), tanto em Guarapari, quanto em Vitória, e foi informada através da assessoria, que esse processo não foi realizado pela instituição.

O CIEE afirmou ainda  que oferecer o curso de forma paga é uma irregularidade, pois eles oferecem o deles gratuitamente. Desde que o estudante esteja dentro da faixa etária regulamentar e frequentando a escola.

RESPOSTA

A equipe do portal 27, já havia publicado a matéria sobre essa confusão relativa a estes cursos. Mas a pedido da Micromix – que alegou também ter sido enganada – e estaria sendo prejudicada por nossa matéria, resolvemos ouvir novamente a empresa, que afirmou também ter sido ludibriada e estaria acionando os representantes da PAQ e BNE na justiça.

Confira abaixo as explicações da representante da empresa Micromix.

Texto: Wilcler Carvalho Lopes e Jamille Scopel

Comments are closed.