Um cidadão indignado com os preços do combustível em Guarapari resolveu percorrer postos de gasolina da cidade de norte a sul como um ato de manifesto. Ele postou os preços que encontrou em suas redes sociais para alertar a população. E não para por aí, também montou um grupo no WhatsApp – que já conta com 100 integrantes. O objetivo é fazer protestos a fim de lutar pelos direitos do cidadão e do consumidor.

Danilo Rezende é autônomo e precisa da moto e do carro para trabalhar. Segundo ele, o gasto por mês com gasolina chega a R$ 450. Com o reajuste do governo no último dia 21 – que subiu o litro da gasolina em R$ 0,41 e do diesel em R$ 0,21 – ele acredita que haverá um aumento nos seus custos mensais em torno de R$ 100 a R$ 150.

“Fui de Setiba a Meaípe e até no Trevo da BR 101 e a diferença do preço é pouca entre um e outro, variando de R$ 0,10 a R$ 0,20. A maioria fica entre R$ 4,05 e R$ 4,09. Só dois dos 17 que estavam R$ 3,96. É um preço abusivo”, disse Danilo. Ele não foi nos postos que ficam na BR 101. “Lá são mais em conta, porém o que se gasta para ir até lá, não compensa. Só se estiver passando por ali”.

O que ele também não consegue entender é a diferença dos preços de Guarapari com os praticados em outros municípios da Grande Vitória. “Chega a R$ 0,50, R$ 0,60 centavos mais barato. Não dá para entender. Essa foi a forma que encontrei para mostrar minha indignação com essa discrepância de preço entre as cidades e essa combinação de valores aqui dentro de Guarapari”.

Danilo participou dos protestos realizados no ano passado contra o preço do combustível praticado em Guarapari. A Câmara de Vereadores, na gestão passada, chegou a fazer uma Comissão Especial de Investigação (CEI). O inquérito apontou existência de cartel, onde os proprietários estariam combinando preços na área urbana da cidade. O documento foi encaminhado para o Ministério Público Federal do Estado (MPF) e ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Os órgãos ficaram responsáveis de dar continuidade à investigação.

O outro lado

Campanha do Sindipostos do Espírito Santo.

O Portal 27 ouviu um dos donos de posto de gasolina em Guarapari. Inclusive, o estabelecimento está participando da campanha do Sindipostos do Espírito Santo. Tem um banner em seu posto onde diz que “aumentar os impostos sobre os combustíveis não é a solução”. Carlos Hoffmann, proprietário do Posto Dino, revela que paga R$ 3,64 na nota fiscal pela gasolina.

“Vitória é uma realidade diferente da nossa, realmente não dá para entender como repassam para o consumidor a R$ 3,69. Mas no sul do estado já estava cobrando R$ 3,89 antes mesmo do reajuste, como em Anchieta e Piúma. Na região das montanhas já estava R$ 4,01, R$ 4,05 antes do aumento. Então, Guarapari não é a palmatória do mundo. No Rio está R$ 4,30. Em São Paulo, R$ 4,39”.

Quanto aos preços similares, o empresário afirma que é de acordo com o mercado. “Não posso dizer pelos outros, posso falar por mim. Aqui prezamos pela qualidade do produto e pelo respeito ao nosso cliente. Em Vila Velha e Vitória também tem isso, lá de Itaparica até a Praia da Costa, todos os postos cobram praticamente o mesmo preço. Muitas vezes, o barato costuma sair muito mais caro”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.