Concluir uma faculdade é uma grande conquista, afinal são muitos anos de estudo e dedicação. Essa vitória tem um sabor ainda mais especial quando alcançada por alguém que precisa superar uma deficiência. Este é o caso do Ricardo Brandão, de 26 anos, que é deficiente auditivo e vai se formar em engenharia ambiental na próxima quinta-feira (09).

Ricardo é primeiro deficiente auditivo do Estado a se formar nessa área.

Ricardo mora em Meaípe com a família e fez o curso em uma faculdade de Guarapari. Recentemente ele ficou sabendo que é o primeiro deficiente auditivo do Estado a se formar nessa área.  “Ele e os amigos fizeram uma pesquisa na internet e descobriram que não tem outro deficiente auditivo formado na área no Espírito Santo. Ele ficou surpreso quando passaram essa informação para ele”, relatou o irmão mais novo, Silvestre Brandão.

Ele falou sobre as dificuldades de fazer uma faculdade.  “Foi difícil, bastante suado e trabalhoso, mas consegui equilibrar a dificuldade com os estudos. Tive dificuldade como os outros alunos, fiquei de recuperação em algumas matérias, mas equilibrei e conseguiu concluir a faculdade”, contou orgulhoso.

O jovem contou que já tem formação técnica em meio ambiente e foi daí que surgiu o desejo de fazer um curso superior na área.  “Durante o curso técnico de meio ambiente me identifiquei muito com a área. As questões ambientais como preservação, sustentabilidade, poluição, desmatamento e melhorias do meio ambiente mesmo”.

O jovem contou que já tem formação técnica em meio ambiente

Mas o irmão deixou escapar que Ricardo sempre teve essa ligação com a natureza. “Ele sempre foi politicamente correto. Nunca gostou de jogar lixo na rua. Você quer ver matar ele de raiva é jogar um papel de bala no chão. Ele sempre foi muito correto com o meio ambiente”.

Ricardo aguarda ansioso pela formatura, mas não vai realizar o desejo de ter o baile de porque foi um dos alunos lesados pela empresa que deu calote nos universitários.  “Estava muito empolgado com a festa e fiquei chateado com o que aconteceu. Mas em relação a colação de grau estou muito feliz “.

Ele também já faz planos para o futuro.  “Não decidi qual pós fazer ou se faço outro curso, mas não pretendo ficar parado. Vou tirar um tempo agora para descansar e decidir o que vou fazer na pós ou fazer outro curso”.

Ricardo e os colegas durante a aula na faculdade.

Ricardo também deixou uma mensagem para outras pessoas deficientes. “Elas não podem se deixar levar pelas limitações. Me considero igual a qualquer outra pessoa. Independente da minha deficiência sou capaz. Nunca me senti para baixo mediante a deficiência. Então que as pessoas não tenham receio de fazer as coisas por serem deficiente. O que tiverem vontade devem seguir em frente e fazer”.