Um homem morreu sem atendimento médico há poucos metros da Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari. a vítima, ainda não identificada, passou mal no estacionamento do estabelecimento médico, mas não foi socorrido.

Por volta das 16 horas de hoje, vizinhos da Unidade de Pronto Atendimento (Upa) do bairro Ipiranga perceberam que o homem, possivelmente um morador de rua, estava passando mal.

Uma funcionária da Upa chegou a ir ver o homem, mas voltou para dentro sem ajudar. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Uma funcionária da Upa chegou a ir ver o homem, mas voltou para dentro sem ajudar. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“Ele estava mal, deitado há várias horas no sol quente. Minha mãe viu ele desde cedo ali. Agora de tarde eu ele estava as crianças foram até a recepção e falaram que tinha um home passando mal. Uma mulher de jaleco branco saiu da Upa e veio até ele. Colocou um papelão para fazer sombra e voltou para dentro. Lá ela disse que não poderia cuidar dele. Que alguém teria que levar ele lá para dentro”, explicou Marília Rosa costa, 29 anos, que mora ao lado do estacionamento da Upa.

Minutos depois o homem começou a ter convulsões. Marília então saiu correndo de dentro de casa para tentar ajudar o homem. “Quando eu cheguei ele já tinha parado de tremer. Eu senti o pulso dele e estava bem fraquinho, mas ele estava vivo. Liguei então para o Samu e para a Polícia, para alguém tomar providências, mas logo depois ele parou de respirar. Nós tentamos reanimar ele, mas quando o Samu chegou eles constaram o óbito.

O Samu teve que se deslocar do bairro Aeroporto para socorrer o homem, mas ele não resistiu e morreu a menos de 20 metros da Upa.
O Samu teve que se deslocar do bairro Aeroporto para socorrer o homem, mas ele não resistiu e morreu a menos de 20 metros da Upa. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Ademir Souza, que também é vizinho da Upa ajudou na tentativa de reanimar o homem. “Isso é um absurdo. O homem morrer sem atendimento médico na frente da Upa. E ainda a funcionária vir aqui e falar que não pode atende-lo? É um ser humano, independente de quem seja”, desabafou.

Depois de terem que se deslocar do bairro Aeroporto, onde fica a base do Samu até a Upa, a equipe de médicos constatou a morte do homem e ficaram no local até  local até a chegada da polícia. O corpo só foi retirado do local depois que a perícia da Polícia Civil e o veículo de Transporte de Cadáveres chegaram, por volta das 18h20 de hoje.

Resposta da prefeitura

A Secretaria de Saúde informa que na tarde deste sábado, 13, havia um andarilho em via pública, em frente à UPA de Guarapari, aparentemente, passando mal. Ao tomar conhecimento do fato, um funcionário da Unidade orientou para que fosse chamado o Samu para levar o homem para dentro da Unidade, uma vez que existe um protocolo (legislação), do próprio COREN e do CRM, que não permite que os funcionários prestem atendimento fora da Unidade de Saúde na qual estão lotados. Isso ocorre para evitar evasão da Unidade, e evitar que se deixe os pacientes da mesma sem atendimento. Ainda, esse protocolo só ampara os funcionários enquanto os mesmos estão em horário de trabalho e nas Unidades, sob pena de, agindo contrário a ele, até, perderem os seus registros. Caso haja qualquer denúncia contrária, a Secretaria de Saúde estará à disposição para prestar esclarecimentos.

Deixe seu comentário