Após uma longa apuração na tarde de hoje, ficou definido que o horário das sessões da Câmara Municipal de Guarapari continuará sendo às 15 horas.  Somando os votos da internet e das urnas, foram 1323 votos para as 15h, 30 votos para as 17h  e 403 votos para as 19h00. Foram confirmados ainda 368 votos nulos.

DSC04116
Mesa fazia a organização da votação.Foto Roberta Bourguignon

Além da imprensa, estiveram presentes durante a sessão, representantes de ongs e de  grupos de redes sociais. Também estiveram presentes vereadores Jorge Ramos (PPS), Dito Xaréu (PDT), Manoel das Ki-delicia (PT), Linconl Bruno (PTC), Jorge Figueiredo (PP) e Germano Borges (PSB), além do presidente Wanderlei Astori (PDT).

Polêmica. Durante a apuração, uma comissão, formada por vereadores, cidadãos e membros da Transparência, surgiu uma observação e uma desconfiança de algumas cédulas de papel, que estavam com votos registrados com letras praticamente idênticas.

Alguns vereadores deixaram bem claro que queriam o horário das 15 horas, como foi o caso do presidente da Câmara, Wanderlei Astori (PDT). Segundo ele, sua filha o ajudou em uma campanha para votar neste horário. “Ele deve ter arrumado uns 50 votos”, disse ele.

DSC04124
Comissão conferia os votos. Foto: Roberta Bourguignon

Outro vereador confidenciou que um colega fez uma campanha mais pesada.  “Um colega precisou organizar uma fila, de tanta gente que ele mandou para votar no horário das 15 horas. na urna do Santo Antonio”

Fraude. O vereador Jorge Figueiredo (PP) que é policial civil, foi um dos que ficou desconfiado. Ele afirmou que vai apurar mais detalhes, até com exames grafotécnicos se for possível para saber que providencias irá tomar caso seja comprovado que houve alguma fraude.

Jorges
Jorge Figueiredo mostra as cédulas que ele desconfia que estejam irregulares. Foto Roberta Bourguignon

Votos nulos. Matando saudades das eleições com cédulas de papel, muitos participantes deixaram seus recadinhos malcriados, com palavrões e outros recados específicos para alguns vereadores. Teve vereador que não gostou dos “elogios”. Só na urna que ficou na prefeitura foram mais de 300 votos anulados.

Mais os detalhes sobre a votação, daremos amanhã.

Por Wilcler Carvalho Lopes, colaboraram Roberta Bourguignon e Rodrigo Barbosa 

Deixe seu comentário