Foto: Marcelo Moryan
Foto: Marcelo Moryan

Qual o sonho que eu ainda poderia me cobrar? Sinceramente, não sei. Não que eu tenha sido até aqui um sonhador inveterado e realizado todos, ou permitido ao meu otimismo avalizar o crédito de que sempre é possível realizar o que está além da imaginação.

Pensando bem, confesso: Eu só tive e tenho um… apenas um sonho – Qual? Permita-me a sutileza transformada em desabafo. Humildemente peço que aguarde o último parágrafo. Antes, porém, reflita: QUAL O MAIOR SONHO QUE UM SER HUMANO PODE TER?

Em 28 de agosto de 1963, 250.000 pessoas se apinhavam no Lincoln Memorial, localizado em Washington D.C., todos tinham um ÚNICO SONHO – A PROMULGAÇÃO E O RESPEITO AOS DIREITOS CIVIS. Queriam ser donas do seu direito de IR e VIR, e, mais, queriam ser donas das suas próprias vidas e decisões. Precisamente, eram 190.000 negros e 60.000 brancos.

Quando a cantora de Blues, Mahalia Jackson, acabou de interpretar um “Espiritual Negro” (Gênero Musical), aconteceu o INESPERADO, aconteceu o ÊXTASE DE TODOS OS IDEAIS, aconteceu o MAIOR SILÊNCIO de que se tem notícia, aconteceu aquilo que um dia teremos que repetir se quisermos ser GRANDES O SUFICIENTE PARA VENCERMOS TODOS OS DESAFIOS – MILHARES DE VOZES SE TRANSFORMARAM EM UM SÓ GRITO, quando um homem negro tomou o microfone e disse para uma multidão perplexa – “I HAVE A DREAM… (EU TENHO UM SONHO!)”.

Dito assim parece ser algo comum, não fossem suas palavras naquela noite carregadas de sinceridade. Todos os outros naquele dia discursaram, mas apenas Martin Luther King falou com o seu coração e alma – É disso que precisamos: SENTIMENTOS SINCEROS PARA MUDAR O MUNDO! A ternura e a sinceridade de King foram tão profundas que emocionaram o Presidente John F. Kennedy e continuam até hoje a INSPIRAR SONHOS.

Martin era ameaçado constantemente pelos grupos radicais do movimento negro – O “Black Moviment” que se sentiam traídos. Malcolm “X” o achava uma farsa. Os ultrarradicais brancos o queriam ver picado e evaporado como gelo seco. Foi então que em 03 de abril de 1968, 04 anos após ganhar o Nobel da Paz, Martin, prevendo a sua morte, evocou palavras de esperanças e exortou a humanidade a ser firme com as intransigências ao direito à liberdade. O amanhecer do dia 04 foi triste – A HUMANIDADE HAVIA PERDIDO UM DOS MAIORES LÍDERES DA SUA HISTÓRIA – Martin Luther King Jr., nascido na Geórgia, o HOMEM QUE TINHA UM SONHO, fora assassinado.

Obrigado por ter chegado até aqui e permitir que eu compartilhe o meu único sonho, quiçá também não seja o seu… JUNTE-SE A NÓS! Respeitadas as individualidades, este é o maior sonho de um homem:

EU TENHO UM SONHO! EU TENHO UM SONHO QUE OS RADICAIS SE CONVERTAM AO DIÁLOGO! APENAS COM O DIÁLOGO PODEMOS TER A LIBERDADE COM QUE TANTO SONHAVA MARTIN LUTHER KING. SÓ O DIÁLOGO É CAPAZ DE PROPORCIONAR E SUSTENTAR MUDANÇAS NA SOCIEDADE. ENQUANTO CADA UM PENSAR QUE É O DONO DA VERDADE, CEIFANDO DO DIÁLOGO SUA PRIMAZIA EM RESOLVER CONFLITOS – MUITOS, MUITOS “MARTINS” AINDA MORRERÃO… E CONTINUAREMOS TODOS A PERDER A GRANDE OPORTUNIDADE DA EVOLUÇÃO HUMANA – ENTENDER QUE #TodosSomosUm!

MARTIN LUTHER KING JR. Novel da Paz e Líder do Movimento pelos Direitos Civis nos Estados Unidos.
MARTIN LUTHER KING JR.
Nobel da Paz e Líder do Movimento pelos Direitos Civis nos Estados Unidos.
Deixe seu comentário

Comments are closed.