Jovem de Guarapari poderia ter se envolvido com drogas, mas por sua determinação e persistência deu uma grande virada em sua vida. Conheça a história de David Silva, 27 anos, de lavador de carros a professor de Educação Física.

David tinha apenas 21 anos quando se viu no fundo do poço. O jovem conta que sua avó havia falecido e com isso, ele precisou abandonar a faculdade que ela ajudava a pagar com muito esforço para procurar emprego. Sem especialização, um milagre bateu à porta do rapaz. “Eu estava com 21 anos, totalmente sem rumo, sem um objetivo traçado, sem saber o que fazer. Sempre fui cuidado pela minha avó, quando ela faleceu eu tinha 19 anos e minha vida ficou conturbada, fiquei meio sem direção”, afirmou o jovem lamentando a morte de sua avó no dia do seu aniversário de 19 anos.

De lavador de carros a professor

Oportunidade. David contou ao Portal 27 que a grande virada de seu destino aconteceria por intermédio de uma conhecida. “Certo dia, eu estava sentado na calçada, minha vizinha passou, ela já trabalhava na locadora de veículos fazendo a parte da limpeza, serviços gerais. Ela passou e disse: “meu filho você está à toa, sem fazer nada, tem uma vaga de lavador lá, você não quer ir lá?” Perguntei que horas eu poderia chegar lá. Peguei a melhor roupa que eu tinha na época e pensei: caraca eu vou causar, é hora de dar um Up na minha vida. No mesmo dia fiz a entrevista e foi passado para mim como fazer. Meu supervisor até perguntou na época se eu sabia lavar carros e eu respondi que já havia lavado, porque pensei que não seria tão difícil assim”, afirmou David em tom de humor.

O início na empresa. O jovem continuou dando seu depoimento. “Desde o começo meu supervisor já deixou bem claro para mim que aquela função não era o meu perfil. “Você não tem perfil de lavador, você é muito novo, daqui a pouco alguma coisa vai acontecer, você vai sair do emprego”, mas mesmo assim apostou em mim, mesmo assim me deu aquele voto de confiança que eu agarrei com unhas e dentes, fui evoluindo dentro da empresa, eu trabalhava na chuva e no sol, não tinha tempo ruim e sempre fui grato por aquilo que eu tinha recebido. A partir daí as coisas foram acontecendo e fui evoluindo dentro da empresa”, afirmou David.

Bolsa de estudos. Trabalhando muito e se esforçando para ter uma profissão, o jovem fez a prova do Enem e conseguiu ganhar uma bolsa do ProUni para cursar Educação Física em uma faculdade particular de Guarapari. “Eu ainda tinha um pouco daquela bagagem do ensino médio, como eu estava com 21 anos, as coisas ainda estavam um pouquinho frescas na cabeça”, afirmou o ex-lavador de carros, que é hoje professor de Educação Física contando ao Portal 27 que não somente ele, mas também seu irmão mais novo teve oportunidade de estudar por meio do ProUni.

A escolha da profissão. Por que David optou por Educação Física? “Na hora de me inscrever para o curso era realmente esse aí que eu queria, não teve dúvida, era um sonho. O sonho de toda criança é ser jogador de futebol e se não foi diferente comigo, mas como não estava dando para ser esse jogador eu falei: eu posso ser importante de uma outra forma, ajudando alguém. Então não consegui ser jogador de futebol, mas consegui cursar Educação Física, porque gostava de estar bem ativo”, afirmou David agradecendo por ter trilhado os caminhos que o fizeram se tornar um homem que trabalha direito e respeita as pessoas.

David Silva – hoje professor de Educação Física

Ser pai. David nos contou que hoje mora com sua mãe, mas quando pequeno, ela não teve condições de criá-lo, por isso, passou todos esses anos com sua avó. Seu pai o abandonou, foi para Minas, segundo ele. “Se ele passar do meu lado não vou saber quem é meu pai é, mas agradeço a Deus, porque Deus me sustentou até aqui. A falta do meu pai hoje me faz ter a vontade de ser o pai que eu não tive”, afirmou.

Superação. “A vida vai ser sempre difícil, e quando for fácil demais, duvide”. Com esse ensinamento de sua avó, David contou ao Portal que cresceu em meio a inúmeras ofertas de “vida fácil”, mas é grato a ela, a seus treinadores e a Deus por não ter se desvirtuado. “Moro em um bairro em que tudo aconteceu na minha frente, fui colocado à prova em muitas questões. Vou te falar que aquela é uma vida fácil, uma vida que traz um retorno financeiro muito rápido. Então o que as crianças querem ser na favela? Traficante. Porque é aquele cara que tem um carro, que tem uma casa, é uma referência de pessoa e não o trabalhador que sai de casa cedo, volta. Mas eu percebi aquele mundo e vi que ninguém dava certo. Falei: quero ajudar essas pessoas, tentar dar uma direção e ser para aquelas crianças o cara que o meu treinador foi, uma referência”, afirmou David relembrando seus treinadores que foram, segundo ele, essenciais para dar um direcionamento à sua vida.

Gratidão. “No meu emprego eu era feliz. Aprendi a ter organização, a ser pontual, a lidar com pessoas. Aprendi muito ali dentro, mas não é o que eu queria para a minha vida. Sou totalmente grato a todo mundo, do lavador que eu fui ao chefe de todos, tenho o maior respeito por todos”. Afirmou o professor que chegou a técnico de operações (uma espécie de gerente da frota de carros) na empresa em que trabalhou por seis anos e que agora espera ter sucesso em sua nova profissão.

Para as pessoas que estão em dificuldade, David diz: “nunca desista de seus objetivos, manha fé, trace uma meta, foque em algo e não deixar que as pessoas te influenciem, porque você sempre vai ser bom ou ruim para alguém”, finalizou.

Deixe seu comentário

Comments are closed.