Um dia depois do Portal 27 noticiar o drama de uma grávida de 41 semanas que não estava conseguindo realizar o parto no Hospital Francisco de Assis (HFA) a jovem Isabela Moreira, de 17 anos, que também estava com 41 semanas de gestação passou ontem por dificuldades para dar à luz na maternidade.

A jovem Isabela Moreira, de 17 anos, que também estava com 41 semanas de gestação.

A denúncia foi feita pela amiga e vizinha,Daphne Pimenta, que a levou para o HFA “Ela foi na maternidade há três dias com muitas dores e a mandaram de volta para casa. Hoje por volta das nove horas da manhã a situação piorou porque ela estava com contração, perdendo líquido e sangue. A contração estava vindo de cinco em cinco minutos. No hospital ela ficou no corredor praticamente parindo e chorando, demorou várias horas para o atendimento. Quando ela foi atendida falaram que ela estava com 3 centímetros de dilatação, que era para esperar porque aquilo não era o necessário para ela ganhar e era para voltar para casa e voltar amanhã”., disse a amiga da gestante.

POLÍCIA. Segundo a amiga, pouco depois de falar com nossa reportagem foi necessário voltar com a jovem para o hospital e a criança nasceu. “Ela ganhou o neném às seis e vinte, mas antes disso meu marido teve que parar um carro da polícia no meio da rua para os policiais escoltarem a gente até lá e colocar ela lá dentro do hospital”, disse.

O obstetra e diretor do hospital Álvaro Cornélio Mendes de Oliveira, explicou que inicialmente Isabela não estava em trabalho. “Ela não tinha nada sangrando, a médica examinou e falou que qualquer coisa era para ela voltar e ela voltou. Ela saiu daqui não tinha bolsa rompida e não estava em trabalho de parto. A bolsa dela rompeu na casa da amiga dela e ela voltou”, disse o médico.

Obstetra e diretor do hospital Álvaro Cornélio Mendes de Oliveira

Questionado sobre a necessidade da interferência da polícia para que a jovem fosse atendida o médico afirmou que “não entrou polícia aqui dentro não, ela já tinha sido atendida e só foi entrar de novo. Eu perguntei a ela se veio polícia com ela e ela falou que não”, disse

Protocolo. Ele também explicou o protocolo seguido pelo hospital para a realização dos partos. “A gente tem um protocolo que é esperar entrar em trabalho de parto. Entrou em trabalho de parto a gente interna e se vai evoluir para parto normal ou não, a gente vai conduzir. O protocolo de internação é se entrou em 41 semanas e não entrou em trabalho de parto, a gente interna e se tiver condição de parto normal, a gente induz ao parto normal. Se ela tiver a condição de cesariana prévia, a gente faz a indução ao parto. A internação pode ser feita com até 42 semanas, mas a gente aqui achou melhor definir por 41 semanas”, explicou.

Ainda segundo ele “Quando a bolsa rompe tem vários procedimentos, pode-se esperar até 24 horas para entrar em trabalho de parto que é normal. Isso de que a criança vai nascer imediatamente após o rompimento da bolsa é mito”, explicou o médico.

O obstetra também esclareceu como é feito o cálculo para saber quantas semanas de gravidez a mãe está. “O cálculo de gestação antigamente era feito pela data da última menstruação. Hoje com o advento do ultrassom a gente leva em conta a primeira ultrassonografia, que é validada da sétima semana até a décima. Essa que é a ultrassom para a gente fazer o cálculo da idade gestacional final”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.