Há vários anos o rio Meaípe vem sofrendo as consequências da degradação ambiental e na última quinta-feira (27) uma grande quantidade de peixes mortos apareceu nas margens do rio.

O ambientalista e morador de Meaípe, Marcus Ely Vailant, explicou que esse é um problema recorrente e acontece devido as agressões que o rio vem sofrendo. “Em geral o que mais faz com que esse episódio se repita é a baixa oxigenação da água por conta de lixos e resíduos, o problema do tratamento da água e a questão da pulverização de venenos em locais próximos as nascentes do rio são alguns dos fatores que contribuem para essa mortandade desses peixes”.

Centenas de peixes aparacerem mortos mais uma vez e preocupa quem mora na região.

Ele também alertou que a morte dos peixes atrai insetos que podem causar doenças. “Isso acaba contribuindo para a proliferação de uma série de insetos por conta dos peixes mortos. Em 100 mililitros que a gente tirou do rio tinha mais de 5 mil larvas de mosquitos. Acaba o verão todo mundo esquece Meaípe. O pessoal do Meio Ambiente e Zoonoses não dão conta e o problema é recorrente”.

Vereador Dito cobra solução para o problema.

O vereador Dito Xaréu mora em Meaípe e conhece o problema de perto. Ele explicou que já vem tentando resolver o problema faz tempo. “Já entreguei ofício à Secretaria de Meio Ambiente, ao prefeito, ao deputado estadual Enivaldo dos Anjos e todo mundo fala que vai tomar providências, mas isso aí foi feito desde o primeiro mês de mandato meu que foi feito isso. A gente está precisando de socorro ali”.

“Nós solicitamos uma análise daquela água e essa semana está marcada uma visita minha com o diretor da Cesan para a gente ver o que pode fazer porque tem que resolver aquilo ali. Na realidade, a Cesan e o município têm que trabalhar juntos porque o município sozinho não consegue resolver”, disse o vereador.

Respostas. O Portal 27 procurou a prefeitura para saber o que está sendo feito para solucionar o problema da poluição do rio e evitar que mais peixes morram e recebeu a seguinte resposta. “Em atendimento à denúncia acerca de alto índice de mortandade de espécies aquáticas no rio Meaípe e odor emanado pelo corpo hídrico no dia 27 de abril de 2017, a Secretaria de Meio Ambiente enviou seus técnicos ao local para contratação dos fatos relatados e apontamento de possíveis soluções para atenuar os incômodos na localidade.

No local foi constatado uma coloração alterada, o corpo hídrico apresenta atualmente turvação elevada, teor de matéria orgânica que por consequência te alterado a relação Demanda Bioquímicas de Oxigênio/Demandas Químicas de Oxigênio do corpo hídrico em questão. Devido a este fato, foi constato a presença de peixes buscando oxigênio na superfície do rio e alguns peixes mortos devido a elevada presença de matéria orgânica e pouca concentração e oxigênio.

Mediante aos fatos constatados, a Secretaria de Meio Ambiente iniciou os procedimentos para solicitar junto aos demais órgãos envolvidos (CESAN, IEMA e Secretaria Municipal de Obras), ações fiscalizatórias para retirada dos encanamentos de esgotos domésticos clandestinos que lançam esgoto in natura no corpo hídrico além da limpeza das margens do rio Meaípe, de modo a proporcionar aos munícipes que habitam na localidade um ecossistema mais equilibrado e sadio. Buscando o restabelecimento do ecossistema em questão a Secretaria Municipal de Meio Ambiente se coloca à disposição para mais esclarecimentos”.

Nossa reportagem também procurou a Cesan para saber o que está sendo feito em relação ao despejo de esgoto no rio e foi informada que “A Cesan oferece apoio técnico à Secretaria de Meio Ambiente na identificação de ligações clandestinas à rede de esgoto para ajudar na fiscalização, que é de responsabilidade da prefeitura”.

Comments are closed.