Os empregados da Samarco das unidades operacionais de Germano (MG) e Ubu (ES), bem como da área administrativa, aprovaram na última semana, a proposta conjunta da empresa e dos sindicatos para adoção de um novo período de layoff.

A suspensão temporária dos contratos de trabalho de parte do efetivo da Samarco foi aprovada por cerca de 98% dos empregados. A proposta foi aceita como a melhor solução para a manutenção dos postos de trabalho, uma vez que a empresa está com suas atividades operacionais paralisadas desde novembro de 2015.

Funcionários entram em mais um período de layoff a partir do próximo mês.

Segundo o diretor do Sindimetal da regional Sul do ES, Sérgio Guerra, se a empresa não voltar a operar até o final do ano, os funcionários temem novas demissões.

“Somos totalmente contra as demissões. Aceitamos o novo período de layoff porque a empresa tem dificuldades para manter seus funcionários enquanto não volta a operar. Sem autorização para voltar a operar, os funcionários temem novas demissões”, explicou.

O novo período de layoff começa no dia 1º de junho e tem prazo inicial de dois meses, podendo ser prorrogado por mais três meses, totalizando até cinco meses. De acordo com a Samarco, a empresa mantém um quadro próprio de cerca de 1.800 funcionários e, a partir de agora, a mineradora definirá o grupo de empregados que terá seus contratos temporariamente suspensos.

“Os funcionários que aceitaram o PDV (Plano de Demissão Voluntária) no ano passado ainda não conseguiram voltar ao mercado de trabalho e muitos estão passando por necessidades. A manobra da empresa é arriscada, mas enquanto não voltarem a produzir, corremos o risco. Precisamos do retorno imediato da empresa”, afirma Guerra.

Deixe seu comentário

Comments are closed.