Mais cinco veículos clonados pelo estelionatário Izac foram apreendidos pelos agentes da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri). Ele foi preso pela segunda vez em pouco mais de um mês, na última sexta-feira (16) por estelionato e falsificação de documentos.

Izac foi preso pela segunda vez em pouco mais de um mês, na última sexta-feira (16) por estelionato e falsificação de documentos.

O delegado titular da Depatri, Marcos Nery, contou que quando foi preso pela primeira vez Izac pagou R$ 5 mil de fiança e foi liberado, mas continuou sendo monitorado. Até que ele estava negociando um Jeep Renegade e a vítima suspeitando do valor bem abaixo do mercado o denunciou. Então ele foi preso com os documentos falsos. “Ele tinha duas CNH’s (Carteira Nacional de Habilitação) com nomes diferentes. Uma era Izac Júnior da Silva e a outra era Izac Pereira Júnior Vieira. Então o prendemos pela falsidade documental e por estar com outros documentos que havia indícios de fralde”.

Após a prisão, as investigações continuaram e no sábado (17) foi descoberto o real endereço de Izac, no Morro da Caixa D’ Água. Quando foi preso ele apresentou para a polícia um apartamento alugado na Praia do Morro, mas o local era usado apenas para que ele tivesse um comprovante de endereço que lhe facilitasse cometer novos crimes. “Na casa dele havia três carros e uma moto de origem duvidosa. Já constatamos que a moto esportiva e o Toyota Rav 4 e o Honda Fit são clonados. A S10 teria sido recebida de uma vítima que a entregou de boa-fé com mais R$ 40 mil para comprar uma caminhonete Fiat Touro”, relatou o delegado.

Nery afirmou que o estelionatário usava carros de luxo para não chamar atenção da polícia e explicou como Izac clonava os veículos. “Ele usava muito o Detran de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Por exemplo, ele via um Fiat Touro circulando pelas ruas de Belo Horizonte. Possivelmente ele encomendava um roubo de um Fiat Touro e passava as características do outro carro para o roubado e adulterava placa, número do vidro, das etiquetas, do moto e do chassi”.

Segundo o delegado Marcos Nery, até o momento cinco veículos clonados foram por Izac foram localizados. Foto: Rafaela Patrício

Segundo ele, na casa também foram encontrados diversos eletroeletrônicos e eletrodoméstico de valor elevado como uma televisão de 60 polegadas e ar condicionado portátil. No local também foi localizado um cofre com documentos falsos. “Dentro do cofre haviam cartões de crédito e débito em nome de várias pessoas, talões de cheque e documentos diversos como certificado de registro e licenciamento de veículo em branco, certidões de nascimento e casamento falsas e chaves dos automóveis. Acreditamos que ele recebe até aposentadoria do INSS”.

Ele disse ainda que Izac falsificava carimbos de autoridades para cometer  crimes. “Ele tinha selos de cartas de Minas e do Rio e também tinha carimbos e matrizes para fazer carimbos de autoridades como agentes de trânsito do Rio, delegados do Rio e de Minas. Geralmente ele falsifica daquelas autoridades que são responsáveis por fazer a liberação das vistoria dos veículos”.

Documentos falsos usados por Izac para cometer crimes. Foto: Rafaela Patrício

De acordo com o delegado, até o momento foram descobertos seis veículos clonados por Izac e ele acredita que outros possam aparecer. O nome completo de Izac ainda não foi descoberto já que ele tem vários documentos com sobrenomes diferentes. Ele será autuado quatro vezes por estelionato, falsificação de documentos e alteração de documento público. Somadas as penas Izac pode pegar mais 20 anos de prisão.

Comments are closed.