Na tarde desta segunda-feira, dia 23 de janeiro, as Polícias Civil e Militar realizaram uma coletiva de imprensa para apresentar o balanço total da “Operação Legalidade Formal – Todos São Iguais Perante a Lei”, que foi realizada nos dias 7, 14 e 21 de janeiro.

Neste domingo, dia 22 de janeiro, o Portal 27 mostrou o balanço parcial com dados da operação realizada no último sábado, dia 21 de janeiro, e hoje apresentamos o balanço total que foi divulgado pela polícia.

Na foto estão o gestor de segurança da Pedreira, Matheus Magalhães; a delegada chefe da 5ª Regional, Maria da Glória Pessotti, e o major Bezerra, da Polícia Militar. Foto: Rafaela Patrício/Portal27

Segundo a delegada chefe da 5ª Regional Maria da Glória Pessotti, as operações foram realizadas com uma parceria da polícia com a organização da Pedreira e aconteceram no dia dos shows de Ivete Sangalo e Aviões do Forró, na Festa das Patroas com Maiara & Maraísa e Marília Mendoça e no Baile do Denis. Ela também explicou porque as operações só aconteceram na Pedreira. “A operação foi realizada só na Pedreira em razão de que os maiores eventos com o maior número de gente terem acontecido lá”.

De acordo com a delegada, no primeiro dia da operação, dia 07 de janeiro, 6 pessoas foram presas e foram apreendidas uma pistola calibre 380 e onze munições do mesmo calibre. Também foram confiscados R$ 828,00, 40 comprimidos de ecstasy, 28 micropontos de LSD e 25 gramas de skank.

Segundo a delegada, até o momento foram registradas 65 ocorrências de furto de celular durante os shows e 42 foram recuperados. Mas ela acreditam que mais foram furtados e novas ocorrências vão aparecer.Foto: Rafaela Patrício/Portal27

Ela disse ainda que no dia 7, o foco da operação era apreender celulares e que essa operação vai continuar. “Quando começaram as operações juntamente com a polícia militar a gente partiu para fazer operações para apreender celular, que é o que é mais comum, principalmente, Iphone. Essa operação ainda continua em andamento e ela não vai parar. Já foram apreendidos 42 celulares desde o início da operação. Também foram presas 10 pessoas, sendo que foi uma quadrilha de Brasília, uma de Belo Horizonte e uma do Rio”.

A delegada disse que por enquanto apenas 65 ocorrências de furto de celular foram registradas, mas acredita que outras devam aparecer. “Nosso levantamento mostra 65 ocorrências sobre furto de celular. Porém, muita gente ainda não fez, e muitas pessoas fizeram pela internet e eu ainda não recebi ou fazem na cidade de origem quando retornam. Então é muito comum até dois meses depois eu receber boletim de ocorrência de furto e roubo de celular. Por enquanto 65 foram registradas”.

No segundo dia da operação, dia 14 de janeiro, 5 pessoas foram conduzidas e 3 foram autuadas. Também foram recuperados 27 celulares foram e apreendidos 38 frascos de loló e 19 micropontos de LSD.

Já no último dia da operação, dia 21 de janeiro, não houve recuperação de celulares furtados. Mas 35 pessoas foram presas.  Neste dia a operação teve início às cinco horas da tarde com a realização de um ponto de bloqueio no bairro Village do Sol. Segundo o major Bezzerra, o objetivo era tentar prender funcionários terceirizados da Pedreira que aproveitavam o fato de não serem revistados para trabalhar para traficantes vendendo drogas.

O major Bezerra relatou que funcionários terceirizados da Pedreira estava trabalhando para traficantes.Foto: Rafaela Patrício/Portal27

“ Nós localizamos os ônibus que trazem esse pessoal terceirizado e abordamos 6 ônibus e 11 vans da produção do show, fizemos a revista em todos, inclusive, utilizando o cão farejador do BME e apreendemos seis pessoas. Com eles estava materiais de uso restrito que é o par de algemas, o spray de pimenta, o simulacro de pistola e uma pequena quantidade de maconha. Também foram apreendidas duas facas caçador, dois canivetes e um carregador de pistola calibre 380”.

O gestor de segurança da Pedreira, Matheus Magalhães explicou que as empresas terceirizadas contratadas para trabalhar na Pedreira são regularizadas pela Polícia Federal e os funcionários tem cursos de vigilantes e atestados de bons antecedentes. Disse ainda que essas empresas foram notificadas pela Casa pela postura dos funcionários. “Este verão nós adotamos uma medida diferenciada em que todos os funcionários são revistados na entrada do evento. Então se não pegasse lá no ponto de bloqueio iriam pegar na revista da entrada da Pedreira. Uma vez identificada as pessoas, nós notificamos as empresas nas quais elas iriam trabalhar para tomar as medidas cabíveis e selecionar melhor seus profissionais. Eram três empresas de vigilância trabalhando na Pedreira e isso foi pego com pessoas que trabalham para duas delas”.

Além dos ônibus dos funcionários, também foram abordados o coletivo de Guarapari e em desses ônibus foi apreendida uma menor de 17 anos. “Ela estava com R$ 2.300,00 para fazer compra de maconha e vender na porta da Pedreira. Ela não confessou, disse que o dinheiro era da tia que ajuda a sua mãe. Mas, após a apreensão do dinheiro e o delegado afirmar que iria conferir a história com a mãe ela se entregou”, disse o major.

Material apreendido durante a operação “Legalidade Formal – Todos Iguais Perante a Lei”.Foto: Rafaela Patrício/Portal27

O major disse ainda que no ponto de bloqueio foram revistadas ao todo 752 pessoas das cinco horas da tarde até às onze da noite e que após os shows foram realizadas blitzes, onde foram feitas novas apreensões. “A partir das sete horas da manhã começou a operação de trânsito na saída da Pedreira, onde foram abordados 470 veículos. Também foram aplicados 171 autos de infração e 105 autos de infração por embriaguez. Desses 105, 91 foram por recusa e 12 constatados através do etilômetro e também 2 pessoas se recusaram a fazer e autuados e presas. A operações continuam durante todo o verão, vamos fazer o acompanhamento até o carnaval e assim que o público da cidade diminuir a gente reduz também o número de operações”.

Somatório das apreensões durante os três dias de Operação:

Maconha – 1,5 em tablete, 418 buchas e 35 cigarros

Loló – 105 frascos

Ecstasy – 142 comprimidos

LSD – 58 micropontos

Cocaína – 18 papelotes

Crack – 90 pedras

Simulacro de arma de fogo- 1 pistola,

Revólver – 1 calibre 22

Algemas- 3 pares

Spray de Pimenta – 1 frasco

Faca Combate – 2

Munição – 11 munições de pistola calibre 380

Dinheiro – R$ 3.428,00

 

Deixe seu comentário

Comments are closed.