Policiais civis da Delegacia Patrimonial (Depatri) de Cachoeiro de Itapemirim concluíram na última sexta-feira (08) o inquérito que investigava um casal suspeito de aplicar golpes que chegam a mais de R$ 100 mil, no município. Os dois suspeitos foram indiciados por estelionato e falsidade documental.

De acordo com o titular da Depatri, José Augusto Militão, N.L.S., 32 anos, que era corretora de imóveis e o marido, C.A.R., 39 anos, foram presos, em flagrante, no dia 1° deste mês. ”O casal foi detido, logo após a suspeita receber uma parcela da compra de um imóvel. Ela recebia o dinheiro em sua conta pessoal e na do companheiro”, ressaltou Militão.

O delegado explicou que N.L.S. vendia os bens por preços bem menores do que os estipulados pelo mercado e, que, não avisava os proprietários dos imóveis sobre a venda. “Dessa forma, ela lesava o proprietário do bem e o possível comprador que jamais iria receber pela aquisição do imóvel”, explicou José Augusto Militão.

O delegado contou também que a Justiça estipulou uma fiança para os suspeitos responderem ao processo em liberdade, porém, como apenas C.A.R. pagou, N.L.S. foi encaminhada ao Centro Prisional Feminino de Cachoeiro de Itapemirim (CPFCI). “O casal foi indiciado por estelionato e falsidade documental. Representamos também pelo bloqueio das contas bancárias dos suspeitos para fins de ressarcimento às vítimas”, finalizou o titular que disse haver outros inquéritos em andamento contra N.L.S. pela prática dos mesmos crimes.

 

Deixe seu comentário