A equipe da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Guarapari localizou, nessa quinta-feira (25), uma residência usada por um grupo criminoso para esconder itens provenientes de furto e roubo. O imóvel fica na localidade de Amarelos, onde os policiais recuperaram eletrodomésticos, joias, celulares, ferramentas, dinheiro, uma arma caseira, munições e dezenas de outros objetos furtados de residências em Guarapari.

As investigações apontam que os produtos recuperados sejam provenientes de três ações criminosas. Entre elas está um roubo com restrição de liberdade da vítima, cometido no dia 27 de janeiro deste ano. As vítimas, um homem de 54 anos, sua esposa e filho, foram amarrados pelos criminosos, que exigiam joias e dinheiro.

As investigações apontam que os produtos recuperados sejam provenientes de três ações criminosas.

“As vítimas deste roubo reconheceram um cordão recuperado nesta residência como sendo deles. Além disso, afirmaram que a arma apreendida nesta operação foi a mesma usada pelos criminosos. Vítimas de dois furtos também já compareceram à Delegacia e reconheceram, entre os bens apreendidos, alguns de seus objetos”, afirmou o titular da Deic de Guarapari, delegado Guilherme Eugênio Rodrigues.

Cães de estimação da família foram mortos pelos criminosos.

Morte de cães. Um dos furtos atribuídos à organização criminosa resultou na morte dos cães de estimação da família. O crime ocorreu no dia 18 de fevereiro em Xuri, zona rural de Vila Velha. Os dois cachorros, um pitbull e um dálmata, foram envenenados para que os criminosos pudessem entrar no imóvel sem serem notados.

“Acredita-se que entre os bens apreendidos haja pertences de vítimas de diversos outros roubos e furtos. Por isso, é importante a divulgação das imagens desses objetos. Caso alguém tenha sido vítima e reconheça algum objeto, deve comparecer à Delegacia Regional de Guarapari, preferencialmente trazendo nota fiscal e outros documentos que comprovem a propriedade, para que possamos restituir os objetos”, orientou o delegado.

O investigado alvo não foi encontrado na residência. O advogado dele fez contato com a delegacia e afirmou que ele se apresentará para interrogatório. As investigações continuam em andamento, com o objetivo de identificar outras vítimas da organização.

Deixe seu comentário