A Prefeitura de Guarapari realiza um projeto que já é considerado sucesso, é o “Se liga no Futuro – combate à gravidez na adolescência”, uma parceria entre a Secretaria de Saúde (Semsa), Secretaria de Educação (Semad) e Secretaria de Trabalho, Assistência e Cidadania (Setac). Com capacitação dos profissionais envolvidos, palestras e conversas nas escolas o projeto já conseguiu uma redução de 7,3% no número de gravidez na adolescência em Guarapari.

Em 2016, foram 595 grávidas, com idade entre 10 a 17 anos.

Em 2015,  o município registrava números alarmantes, de todos os nascidos naquele ano, no município, 23% eram filhos de mães adolescentes. Em 2016, foram 595 grávidas, com idade entre 10 a 17 anos.

Ações. Com o lançamento do projeto em 2017, foram desenvolvidas ações para proporcionam mais expectativa de futuro aos jovens e adolescentes de nosso Município. A administração municipal começou a realizar um trabalho bem efetivo, de forma intensa, em seis escolas, com alunos de 6º a 9º Anos, totalizando 2.980 alunos da Rede Municipal. Essas escolas foram escolhidas por estarem em locais com maior índice de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e gravidez na adolescência em nosso Município.

O objetivo de reverter o crescimento negativo do número de adolescentes gravidas vem sendo alcançado, em 2018, Guarapari alcançou resultados super positivos, dos nascidos aqui, 15,7% são filhos de mães adolescentes. 7,3% a menos, em relação ao ano de 2015.

Durante a execução, os profissionais trabalham temas como transformações, descobertas, escolhas e desafios que os jovens precisam enfrentar durante esta fase da vida. A abordagem é feita de forma a envolver toda comunidade escolar, família e alunos. Assim, a equipe multidisciplinar, atua dentro das escolas desenvolvendo ações articuladas, com o intuito de debater esta temática diretamente com os adolescentes e jovens, levando-os a fazer as escolhas de forma consciente e coerente.

“A gravidez na adolescência pode trazer consequências emocionais, sociais e econômicas para a saúde da mãe e do filho. A maioria das adolescentes que engravida abandona os estudos para cuidar do filho, o que aumenta os riscos de desemprego e dependência econômica dos familiares. Esses fatores contribuem para a perpetuação da pobreza, baixo nível de escolaridade, abuso e violência familiar, tanto à mãe como à criança”, disse o diretor da Escola Darcy Ribeiro, Thiago Menário.  

O objetivo é que todas as escolas do município sejam contempladas com o Projeto ao longo do tempo. As escolas que recebem o projeto atualmente:

Escola  Benedita Martins de Souza;

Escola Cândida Soares Machado;

Escola Maria Ramalhete;

Escola Rose Simões;

Escola Ignes Massad Cola;

Escola Darcy Ribeiro.

Deixe seu comentário

Comments are closed.