A Samarco iniciou, em julho, o comissionamento do filtro prensa, equipamento semi-industrial que irá possibilitar a construção de aterros experimentais com diversos cenários de mistura de rejeito arenoso e lama, para uma avaliação abrangente das melhores formas de disposição e do comportamento geotécnico das pilhas de rejeitos. A iniciativa é mais um avanço do Programa Estratégico de Soluções para Reserva, Rejeitos e Estéril.

“Estamos comissionando todo o sistema de filtragem, que inclui, além do filtro, bomba, compressor e outros periféricos”, destacou Gil Ribeiro, engenheiro especialista em Inovação. A previsão é que os testes sejam finalizados em abril de 2024.

Samarco iniciou o comissionamento do equipamento que irá possibilitar a construção de aterros experimentais com diversos cenários de mistura de rejeito arenoso e lama

“Esse projeto foi desenvolvido pela Gerência de Inovação e conta com a ajuda de várias gerências. Entre estas, a Gerência de Gestão de Ativos foi a responsável pela implementação considerando o atendimento às normas regulamentadoras vigentes e procedimentos de segurança, a fim de garantir confiabilidade e segurança na operação do filtro prensa”, destacou Sandro Miranda, coordenador da Gerência de Gestão de Ativos.

Desde a retomada gradual das operações, a Samarco opera com um sistema de filtragem e empilhamento a seco de cerca de 80% do rejeito gerado. A ideia agora é avaliar o comportamento de várias misturas de rejeito arenoso + lama (inclusive 100% lama) e sua filtrabilidade, assim como estabilidade na formação de pilhas e outros parâmetros geotécnicos.