Neste domingo, às 14h, no Parque Municipal Morro da Pescaria, ao final da Praia do Morro, em Guarapari, acontece pela primeira vez, o “Grito pela Vida”. O ato será o início de uma campanha que almeja debater a depressão na cidade.

O ato que será realizado neste domingo, surgiu após uma reunião entre Cida, estudantes de psicologia, médico e pessoas que decidiram abraçar a causa.

O movimento tem por objetivo, acolher pessoas que estão passando por diferentes depressões e promover a conscientização sobre a doença. A ideia do “Grito”, surgiu a partir da dor da fotógrafa Cida Rocha, de 32 anos, mãe de Felipe Rocha, de 10 anos, que tirou a própria vida há duas semanas.

“O meu objetivo de vida agora é gritar pelo o que meu filho não gritou, pelo o que ele não conseguiu gritar por estar doente, agora quem grita por ele sou eu. O movimento neste domingo, é mostrar para a sociedade que há muitas pessoas que estão clamando por socorro e estão passando por depressão, sendo levadas ao suicídio. O que a gente quer fazer a sociedade entender, é que a depressão é uma doença e não está relacionada a problemas religiosos ou frescuras”, declarou Cida.

O ato vai contar com a presença de funcionários e alunos das duas escolas que Felipe estudou. Os participantes podem ir com camisas brancas ou amarelas, além de levar balões com as mesmas cores. “Eu passei por uma situação que não desejo que ninguém passe, e quero dizer que quem está passando por isso não está sozinho. É um luto que já virou luta”, enfatizou.

Deixe seu comentário