Após três meses de competições da Taça EDP das comunidades, time feminino de Muquiçaba conquista o bicampeonato. A partida final aconteceu no dia 30 de junho e as jogadoras enfrentaram o time Serra Dourada III, vencendo de 4 a 1, com uma torcida de aproximadamente 1500 pessoas. O time foi invicto durante todo o campeonato e tomou apenas um gol ao longo das partidas.

Time feminino bicampeão na Taça EDP das comunidades

O início. De acordo com Ebenézer Ramalhete Ferreira, técnico das meninas, o time existe desde 2018. “Na segunda edição da Taça EDP das comunidades e a gente entrou com o time masculino, os quatro times que chegaram à semifinal tinham que montar um time feminino. Eu montei esse time em uma semana no ano passado, através de facebook, internet, fui convidado algumas meninas, montamos o time e elas jogaram a semifinal e a final. Nos dois jogos o placar foi de quatro a zero, fomos campeões no ano passado tanto no feminino, quanto no masculino”, afirmou.

Partidas realizadas. Em 2019, segundo Ebenézer – conhecido como Bonó – o campeonato teve um sistema diferente. “E neste foram três partidas, oito clubes participaram. Como fomos campeões no ano passado, a gente já estava automaticamente inscrito. O primeiro jogo a gente ganhou de 2 x 0, o segundo de 4 x 0 e na final, contra Serra Dourada III, o jogo foi de 4 x 1”, afirmou o técnico do time de Muquiçaba.

Melhor Goleira da Taça EDP

Escolinha Nova Geração. Bonó conta que o trabalho se iniciou em Viana com seu irmão, o pastor Samuel e a escolinha Nova Geração já está funcionando há três anos em Guarapari. “Como a gente mora em Guarapari, a gente trouxe uma filial da escolinha Nova Geração. Em 2015 nós fomos campeões com o time masculino da copa sub-17 e de um campeonato a nível estadual”, afirmou.

Artilheira da Taça EDP

Premiação. No ano anterior, a premiação foi somente para o masculino, segundo Bonó, o time ganhou 30 mil reais que foram utilizados na construção de uma quadra. Nesse ano, além do troféu e das medalhas, o time vencedor de cada modalidade faturou 20 mil reais. “Tivemos também a melhor goleira do campeonato, a Mariana, que mora em Santa Mônica e a melhor artilheira, Raíssa, que mora em Santa Margarida. Os 20 mil que a gente ganhou vai ser para alguma benfeitoria no bairro e provavelmente vai ser feita uma reforma no ginásio Rio Branco que fica ali atrás do complexo”, afirmou o técnico.

Orgulho. Bonó é só orgulho do time de meninas. “A sensação de ser bicampeão é realmente muito boa, uma satisfação, uma gratificação e um prazer poder de alguma forma estar contribuindo de alguma maneira para o time, para o bairro, eu fui nascido e criado aqui no bairro. Lembrando que a gente vai disputar a copa A Gazetinha categorias sub-14 sub-17 do feminino, sub-11, sub-13 e sub-15 do masculino. Vamos possivelmente também disputar a Copa Espírito Santo sub-15, sub-17”, afirmou.

Bonó treina os times masculino e feminino no Campo do América, em Olaria, com espaço cedido gratuitamente. “O treino é aberto para qualquer idade, quem quiser pode ir treinar com a gente, não paga nada”, finalizou o técnico.