Uma operação policial para o cumprimento de três mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão, realizada por volta das 6h da manhã desta sexta-feira (19) no bairro Prainha de Olaria, em Guarapari, resultou na morte do traficante Gilgner Gonçalves Rodrigues, de 21 anos.

WhatsApp Image 2016-08-19 at 16.01.17
Na casa de Cristiano foram encontrados aproximadamente 5 quilos de maconha embalados em papel de presente, 68 comprimidos de êxtase, uma arma calibre 380 com numeração raspada, 14 munições e R$ 1.619,00

Durante entrevista coletiva o chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, José Lopes, explicou que Gilgner foi cercado em sua casa e o policial estava nos fundos aguardando o cumprimento do mandado quando o criminoso tentou fugir. “Ele estava em casa com uma criança e a mulher dele e reagiu pulando a janela e efetuando alguns disparos, que felizmente não saíram porque a arma falhou e o policial teve que efetuar um disparo e esse disparo foi fatal”.

José Lopes
José Lopes afirma que Gilgner respondia por no mínimo dois homicídios e tráfico de drogas

José Lopes afirma que Gilgner respondia por no mínimo dois homicídios e tráfico de drogas e que não há dúvidas de que o policial atirou em legítima defesa. “A corregedora está acompanhando os depoimentos e já verificou que o policial agiu em legítima defesa e infelizmente o rapaz veio a óbito”.

Gilgner
Segundo a policia, Gilgner respondia por no mínimo dois homicídios e tráfico de drogas.

Tiro. Questionado sobre o fato do policial ter atirado na cabeça do jovem e não na perna ou em outra parte do corpo que não fosse fatal o delegado afirmou que “o policial não foi feito para matar ninguém, a gente foi feito para prender. Infelizmente aconteceu. A divisão de homicídios tem seis delegacias de crimes e a gente faz em média cem operações por ano e nunca teve esse fato. Infelizmente aconteceu”.

Além de Gilgner, também havia um mandado de prisão contra Pablo da Cruz Soares, de 26 anos, que está foragido, e Cristiano Gonçalves dos Santos, de 20 anos, que é primo de Gilgner  e foi preso. Na casa de Cristiano foram encontrados aproximadamente 5 quilos de maconha embalados em papel de presente, 68 comprimidos de êxtase, uma arma calibre 380 com numeração raspada, 14 munições e R$ 1.619,00.  Ele vai responder por posse de arma de uso restrito, tráfico de drogas e associação ao tráfico e não tem direito a fiança.

Por Rafaela Patrício

Comments are closed.