A terça-feira vai continuar complicada para quem precisa de ônibus para se deslocar para outras cidades. O Sintrovig, que representa os motoristas de ônibus e cobradores, promete nova paralisação geral dos ônibus das Viações Planeta e Alvorada, a exemplo do que aconteceu hoje.

Manifestantes foram para a frente da prefeitura. Eles querem o fim do decreto. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Manifestantes foram para a frente da prefeitura. Eles querem o fim do decreto. Foto: João Thomazelli/Portal 27

A paralisação é em protesto à obrigatoriedade de os ônibus embarcarem e desembaraçarem passageiros apenas na rodoviária. Diante desta situação, as empresas já avisaram ao sindicato que podem demitir até 60% do seu pessoal por causa das perdas com a venda de passagens.

E o quadro ainda pode piorar, pois o Transcol também terá que partir da rodoviária. “O município já notificou a Ceturb uma vez e pelo jeito eles não cumpriram a determinação. A prefeitura vai notificar a Ceturb novamente porque assim como os ônibus intermunicipais, o Transcol também precisa fazer o embarque e desembarque exclusivamente na rodoviária”, explicou o secretário de fiscalização Danilo Bastos na manhã de hoje. Por volta das 17 horas, os fiscais da prefeitura notificaram os ônibus do Transcol que estavam pegando passageiros no trevo de Setiba.

Da prefeitura os manifestantes foram para a frente do Fórum e do Ministério Público. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Da prefeitura os manifestantes foram para a frente do Fórum e do Ministério Público. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Protestos aconteceram por toda segunda-feira

Os protestos que começaram na manhã de hoje (08) em Guarapari contra a obrigatoriedade do embarque e desembarque de passageiros apenas na rodoviária de Guarapari aconteceram durante todo o dia.

Durante a manhã, trabalhadores e estudantes bloqueavam a ponte da cidade de 5 em 5 minutos e um enorme congestionamento se formou. Na Rodovia do Sol, altura do bairro Porto Grande, os moradores fecharam a rodovia por quase duas horas. A pista foi liberada às 11 horas e os manifestantes dispersaram logo em seguida.

Por volta das 14 horas, manifestantes se concentraram na frente da prefeitura exigindo uma audiência com o prefeito. Uma pequena comissão composta por representantes de associações de moradores, sindicatos dos motoristas e cobradores de ônibus e dos professores foram recebidos pelo prefeito em seu gabinete.

Os manifestantes se reuniram na frente do Fórum e discutiram as ações para esta terça-feira. foto: João Thomazelli/Portal 27
Os manifestantes se reuniram na frente do Fórum e discutiram as ações para esta terça-feira. foto: João Thomazelli/Portal 27

A imprensa não foi autorizada a participar da reunião, contrariando um pedido dos próprios manifestantes. Depois de concluído o encontro entre manifestantes e prefeito, os ânimos continuaram inflamados. “O prefeito falou que não vai revogar o decreto porque senão, quem vai ter que pagar a multa é ele. Mas a multa não é o MP quem dá é o Juiz. O prefeito está sendo omisso com a população e por medo de ter que pagar uma multa, quem está pagando é a população”, declarou Walace Belmiro Fornaciari, presidente do sindicato que representa os motoristas e cobradores de ônibus.

Depois do encontro com o prefeito, os manifestantes se dirigiram para a frente do Fórum e do Ministério Público no bairro Muquiçaba. Lá uma comissão se encontrou com o juiz da Vara da Fazenda Pública, Gustavo da Silva e Silva. O juiz explicou apenas que um processo está em andamento na vara envolvendo a rodoviária e que não poderia comentar sobre o andamento.

Depois dos esclarecimentos, o grupo se comprometeu com os manifestantes em dar entrada em uma ação civil pública para tentar cancelar o decreto da prefeitura que obriga os ônibus a embarcarem e desembarcarem apenas na rodoviária.

Nota da Prefeitura de Guarapari

A reportagem do Portal 27 entrou em contato com a secretaria de comunicação para pedir explicações sobre o fato de os jornalistas serem impedidos de participar da reunião com os manifestantes. Em nota o município respondeu o seguinte:

A reunião foi uma solicitação dos representantes dos usuários e foi marcada com os mesmos.

A imprensa foi atendida pela prefeitura e teve todas as perguntas respondidas. Se ficou alguma dúvida a prefeitura responderá, mas devido ao período eleitoral a administração está evitando um acirramento maior dos ânimos e a utilização da manifestação de forma eleitoral”.

Comments are closed.