Guarapari é conhecido como o destino turístico mais procurado no Estado. Neste verão, as coisas não parecem ter sido tão boas assim: a cidade apresentou uma queda estimada entre 10 e 15% na taxa de ocupação, quando comparada a 2015, segundo o diretor de Pequenos Meios de Hospedagem da Associação Brasileira de Indústria de Hotéis do Espírito Santo (ABIH-ES), Gustavo Guimarães.

Foto: João Thomazelli/Portal 27
A cidade apresentou uma queda estimada entre 10 e 15% na taxa de ocupação, segundo Gustavo. Foto: João Thomazelli/Portal 27

De acordo com o diretor, essa queda já era esperada devido a vários fatores, como a crise econômica enfrentada pelo país e a tragédia em Mariana (MG), com a qual surgiram boatos da chegada da lama a Guarapari. “Nós sofremos muito com essa informação negativa”, disse.

Foto: Gessika Avila/Portal 27
Gustavo Guimarães defende a necessidade de um planejamento para auxiliar o setor hoteleiro de Guarapari. Foto: Gessika Avila/Portal 27

Gustavo fala da necessidade de um planejamento para auxiliar o setor hoteleiro do município: “Vamos antecipar um planejamento que a gente já vinha organizando para melhorar a taxa de ocupação para que isso não se repita. Precisamos valorizar essa fama que Guarapari já tem, de ser o destino turístico mais procurado no Estado, para ajudar o setor”.

José Renato
José Renato afirma que as reservas nos hotéis do município sofreram uma queda de 30%.

O presidente da Associação de Hotéis e Turismo de Guarapari (AHTG), José Renato de Andrade Cezar, também reforça a criação de um planejamento, mas defende que as reservas nos hotéis da cidade caíram em 30%. “O que mais contribuiu para isso foi a lama. Faltou comunicação e divulgação do governo para deixar claro que ela não estava em Guarapari”, afirma.

A queda, que também ocorreu no período de Carnaval, foi mais acentuada a partir do dia 15 de janeiro, quando a cidade passou por dias de chuva, o que, segundo Gustavo, facilitou para a decaída. Apesar disso, ele ainda acrescenta: “Guarapari é o principal destino turístico do Estado, principalmente no verão, isso é indiscutível”.

Deixe seu comentário