A obra da nova sede da prefeitura Municipal de Guarapari já custou aos cofres públicos mais de R$ 5 milhões.  Esse é a conta que foi feita pela Comissão de Economia e Finanças da Câmara Municipal de Guarapari.

O presidente da Comissão, vereador Marcos Grijó (PDT), fez um levantamento dos investimentos na obra, entre a compra do prédio e os materiais para os serviços de reparo e construção. Segundo esse levantamento, o valor investido até o momento é de R$ 5.898.415,87.

Grijó afirma que o prédio tem mais de 20 anos e a sua estrutura está precária.

Explicações. Grijó afirma que o prédio tem mais de 20 anos e a sua estrutura está precária, necessitando de diversas intervenções, pois era um prédio para ser residencial e não comercial. Secretários e engenheiros da prefeitura foram chamados na Câmara para dar explicações, mas não foi o bastante.

Vereador mostrou fotos das condições do prédio.

“Eles vieram dar explicações na parte estrutural. Eles falaram que seria feito um tratamento nas ferragens e que a empresa seria contratada só para tirar os rebocos. Perguntamos se eles não tinham medo se daqui a 10,15 anos, esse prédio cair”, disse Grijó.  

Ainda de acordo com ele, os vereadores conversaram também com representantes da empresa responsável pela obra. “Eles não têm engenheiro responsável pela obra. O engenheiro é da prefeitura e ela manda fazer e ele executa. Ele disse ainda que a prefeitura fornece o material. Eu nunca vi esse modelo de gestão”, afirmou.

Diante das críticas do vereador Grijó e também de um vídeo do ex-vereador José Raimundo Dantas falando da obra, a prefeitura de Guarapari divulgou um vídeo com as explicações do Secretario Municipal de Obras, Ygor Credi-Dio, sobre as obras estruturais da nova sede. Segundo ele “O prédio não está condenado”.  Confira o vídeo.

Auditoria. Segundo Grijó “Nós resolvemos entrar com um pedido ao Tribunal de Contas. Em março de 2018 pedimos que eles fizessem uma vistoria técnica dos investimentos aplicados ali.  O Tribunal de Contas julgou favorável os nossos questionamentos. Eles vão fazer uma auditoria neste prédio. Isso deve acontecer agora no final de fevereiro ou início de março”, explicou o parlamentar.

Segundo o vereador “Nós vereadores, nós da comissão, estamos atentos e questionando os órgãos competentes que é o Tribunal de Contas e o Tribunal de Justiça. A partir do resultado do laudo do Tribunal de Contas, se não paralisar a obra, nós vamos entrar na justiça”, afirmou. 

Deixe seu comentário

Comments are closed.