O vereador de Guarapari, Dito Xaréu (SDD), que na terça-feira (13) teve fotos íntimas compartilhadas por meio do whatsapp, fez um discurso durante a sessão da Câmara nesta quinta (15), para tentar esclarecer o fato e se desculpar com a população pelo ocorrido.

O parlamentar assumiu a autoria da foto, mas falou que não sabe como ela pode ter vazado. “Não me lembro em que época essa foto foi tirada, eu me lembro que compartilhei com uma ex-namorada, não sei se foi ela que encaminhou”, disse o vereador reclamando ainda da foto ter sido publicada por um outro veículo de imprensa da cidade.

O vereador se desculpou por sua foto íntima vazada na internet. Foto:Cecília Rodrigues

Ele se justifica com a população e diz que vai seguir de forma judicial para punir os possíveis culpados. “Eu estou aqui para pedir desculpa de minha parte à população de Guarapari, aos meus seguidores, aqueles que realmente acreditam em meu trabalho e falar que foi um descuido meu num momento íntimo, mas não partiu de mim. E o que me entristece muito é ver um veículo de comunicação publicar uma foto dessas. As providencias estão sendo tomadas, foi contratado um escritório de advocacia pelo meu partido e outro por mim, inclusive amanhã estamos indo para a Delegacia de Repressão a Crimes Eletrônicos em Vitória”, afirmou o vereador.

Dito afirma que também quer mover uma ação contra quem compartilhou sua foto íntima. “Comentário negativo vai existir sempre. Ano passado, eu fui caluniado por um senhor de Guarapari, eu fui chamado de traficante, e eu entrei com um processo na justiça. Terça feira passada essa pessoa foi penalizada a pagar uma multa de R$20 mil ou prestar 3 meses de serviço durante 8 horas por dia, e durante 5 anos essa pessoa não pode nem se envolver nem em acidente de trânsito, quanto mais em confusão.  Então quando a gente compartilha alguma coisa a gente corre esse risco”, ressaltou.

Na sessão desta quinta (15), foram aprovados o reajuste salarial para professores municipais e remuneração por produtividade para servidores da Secretaria da Fazenda.

Projeto aprovados. Na sessão agitada, os vereadores aprovaram projetos de lei enviados pelo poder executivo. Um deles foi o reajuste salarial de 6,8% para professores municipais, igualando assim ao piso nacional da categoria. Clebinho Brambati (PTB), o representante do prefeito no poder legislativo, afirmou que serão pagos os valores retroativos de janeiro até agora, e que no próximo mês os servidores já vão sentir no bolso aumento. “O executivo vem atender  o sindicato, essa reivindicação antiga da categoria que é o piso nacional que tanto os sindicatos pleitearam. Esse reajuste de 6,81% é o piso nacional. Isso é retroativo à janeiro, e já vão receber daqui para frente a cada mês esse percentual ajustado”, afirmou o parlamentar.

Clebinho Brambati (PTB)

Também foi aprovado remuneração por produtividade para servidores da Secretaria da Fazenda.  Clebinho comenta que serão os beneficiados pelo Projeto de Lei. “Os funcionário de campo já recebem o reajuste por produção e aquelas pessoas que estão lá na ponta, que finalizam esse processo não recebem por produtividade, então está  sendo feita uma adequação para que a produtividade possa ser divida também com esse funcionários, que a gente fala que é atividade fim da secretaria da Fazenda”, diz.

Hospital Maternidade Cidade Saúde. Marcos Grijó (PDT), usou o tempo destinado para sua fala para questionar a obra do Hospital Maternidade Cidade Saúde e disse que a Comissão de Finanças da Câmara irá fiscalizar a obra na próxima terça-feira (20). “A Comissão de Finanças aprova o orçamento público e o tempo todo estão falando que vão construir hospital, isso tem anos em Guarapari, então a comissão tem a responsabilidade de olhar se essa obra se realmente ela vai sair do papel. Porque até então você tem um recurso no orçamento, você tem um dinheiro que dizem que está vindo de Brasília e até agora hoje não foi colocado uma lajota lá”, fala o parlamentar.

Grijó comenta que vai analisar o recurso empregado para essa obra. “É necessário que a comissão acompanhe isso, saiba em que estado está e se ela é pertinente ao município. Essa obra está parada há mais de 15 anos, é uma obra que foi iniciada pela iniciativa privada, foi abandonada. E quando você  fala de projeto de SUS e iniciativa privada são caraterísticas diferentes , e onde é que está indo o recurso público do município? Nós temos que fazer uma análise melhor e a Comissão de Finanças vai fazer o seu papel fiscalizador”, afirma o vereador.

Comments are closed.