Após a matéria do Portal27, (confira aqui), explicando os bastidores políticos da cidade, onde existiria uma “Guerra Fria” entre os poderes legislativo e executivo, onde foi citado, por exemplo, a não aprovação de um projeto do executivo, para autorização de utilizar R$ 83.000,00 (oitenta e três mil reais), de recursos do Estado, para pagar a empresa que fez a reforma do ginásio do Polivalente.

Os vereadores de Guarapari não haviam aprovado o projeto e isso resultou na devolução de 83 mil reais ao Governo do Estado. Um funcionário da prefeitura, ligado ao gabinete, reclamou ao Portal27.. “Como isso, a prefeitura vai ter que tirar de seus recursos 83 mil para pagar a empresa. 83 mil que poderiam ser gastos, por exemplo, em folha de pagamento, vale transporte e etc. Mas que sairão dos cofres públicos porque a câmara não autorizou o repasse”, disse.

DSC04906
Vereadores querem que o projeto volte para Câmara.

Porém na sessão de ontem, (21), o vereador Germano Borges (PSB), mostrou que conseguiu as assinaturas dos vereadores, para aprovar um requerimento, solicitando que o poder executivo coloque o projeto novamente em votação, pois de acordo com ele, o dinheiro ainda poderia ser recuperado. “Estou solicitando o retorno desse projeto para que nós possamos reavaliar aquela posição, que nós tomamos com relação aquela verba, para a quadra do polivalente”, explicou Germano, mostrando que já havia as assinaturas para aprovação do requerimento. “Temos urgência porque o dinheiro ainda está em Guarapari”, afirmou.

Depois disso, vários vereadores discursaram, dando explicações de que poderiam ter “errado” em não aprovar a verba e que agora, com a volta do projeto, iriam tomar a atitude correta.

Para saber como funcionaria essa devolução, procuramos uma fonte de dentro do executivo, que disse que a situação não é tão simples assim, pois a verba está nesta situação desde o final de 2012 e como foi preterida na Câmara, prazos teriam sido perdidos e possivelmente não seria tão simples reaver a verba. “O executivo vai tentar de tudo para reaver esses recursos, mas como não foi aprovada em tempo hábil, pois o convênio acabou em novembro de 2012, pode ser que a prefeitura tenha que pagar do próprio bolso”, disse a fonte ouvida pelo Portal27.

Ainda de acordo com ela, por causa deste atraso, não será tão simples solucionar a situação, pois um erro  pode gerar  problemas com Tribunal de Contas e outros órgãos públicos.

Por Wilcler Carvalho Lopes e Roberta Bourguignon

Deixe seu comentário