Depois de ser selecionado entre mais de 31 mil inscritos, o advogado de Guarapari Lucas Neto, um dos únicos alunos do Instituto RenovaBR na cidade, vai disputar uma vaga na Câmara Municipal. Atual pré-candidato a vereador pelo Partido Cidadania, Lucas declara que busca uma política diferente, voltada para a população.

O advogado é pré-candidato

Para o advogado, ser político exige qualificação, já que independente do cargo, é preciso saber como resolver as dificuldades de diferentes cidadãos.

“Ser político exige qualificação. As pessoas entram para a política sem ter ideia do papel de cada governante. Depois de eleitos, vereadores e prefeito não são políticos de bairro, e sim da cidade toda. Ser aluno do RenovaBR foi fundamental, por ser uma escola de formação para novos políticos”, disse Lucas, que já se formou na primeira fase da escola de políticos, e cursa a segunda fase.

A insatisfação com a atual classe política, foi o principal ponto de partida para ingressar no curso, segundo o advogado. No Instituto RenovaBR, intitulado como a maior escola de democracia do país, Lucas revela que produziu trabalhos, fez provas e precisou participar de encontros presenciais no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Neste momento em que a democracia passou a ser um regime político contestado, o advogado frisa que o vereador e o prefeito precisam se comportar como verdadeiros funcionários do povo, não um funcionário acima da população.

“É preciso se comportar como um verdadeiro funcionário do povo. Muitos problemas de Guarapari eu conheço, porque eu os vivencio, como na educação, na saúde, vejo a falta de drenagem e pavimentação, os problemas com alagamentos que Guarapari ainda tem, famílias que vivem em situação de miséria na cidade, o turismo baseado apenas no verão, a falta de emprego, e o mal exemplo de alguns políticos”, esclarece Lucas.

Advogado frisa que o vereador e o prefeito precisam se comportar como verdadeiros funcionários do povo

O que faltava entender para se candidatar ao cargo de vereador, segundo o advogado, era como resolver os problemas apresentados pelas comunidades e porque os atuais políticos não resolvem.

“Eu estudei cada caso. É possível resolver alguns e reduzir outros. Precisa de vontade política por parte dos eleitos, e precisa de empenho por parte da sociedade como um todo. O eleitor precisa acompanhar os políticos, engajar nessa luta, e não pode estar presente apenas no momento do voto”, completa o advogado.

Oposição e situação. Por quase quatro anos, o que se viu no legislativo e executivo da cidade, é uma eterna briga eterna entre situação e oposição. Perguntado sobre sua opinião a respeito dessa briga interna, o advogado Lucas Neto, de 29 anos, frisa que através dos estudos pelo Instituto RenovaBR, o legislativo precisa ser independente de verdade.

“A independência entre os poderes passa a não ser oposição ou situação. Desse modo, o legislativo passa a acompanhar o prefeito quando o executivo tem razão, e é contra quando está errado. O legislativo jamais pode dar um cheque em branco para o prefeito administrar a cidade. O cofre de uma cidade está na prefeitura, mas quem tem a chave são os vereadores. Então o parlamento forte de verdade, é aquele que não parte para o enfrentamento de quem manda ou não manda. Ele debate o que é bom ou não para a cidade”, esclarece Lucas.

Para o advogado, o prefeito ainda deve nomear os cargos comissionados, por serem cargos de confiança. Mas o legislativo precisa investigar cada indicação. “Quem tem que nomear os cargos comissionados da prefeitura é o prefeito, e se ele escolher mau, a câmara precisa investigar essa escolha, já que uma má indicação prejudica a independência do legislativo”, completa.

Deixe seu comentário