O afastamento da vereadora Rosangela Nunes Loyola (PDT), que aconteceu na sessão da última quinta-feira, 28 de fevereiro,  foi oficializado pela Câmara Municipal de Guarapari através do diário oficial de hoje (8).

Vereadora Rosangela Nunes Loyola (PDT)

De acordo com a publicação “Considerando a denúncia de autoria do Sr. Clauberte de Oliveira Cavalcanti, protocolada na Câmara Municipal de Guarapari, sob o número 434/2019. Considerando o recebimento da denúncia pelo Plenário, na Terceira Sessão Ordinária do ano de dois mil e dezenove, por dez votos favoráveis e cinco votos contrários…”, diz parte da publicação.

Ainda de acordo com a publicação “A CÂMARA MUNICIPAL DE GUARAPARI, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais instituídas no art. 45, V e VII da LOM, faz saber que o Presidente da Mesa Diretora PROMULGA a seguinte RESOLUÇÃO:

Art. 1º – Fica afastada de suas funções a Vereadora Rosangela Nunes Loyola, filiada ao Partido Democrático Trabalhista – PDT, por até 180 (cento e oitenta).

Art. 2º – Esta Resolução entrará em vigor em 28 de fevereiro de 2019.

Art. 3º – Revogam-se as disposições em contrário.

Guarapari/ES, 01 de março de 2019”

O áudio. A vereadora Rosângela Loyola (PDT) foi afastada após aparecer em um áudio, afirmando que vereadores receberam dinheiro para votar na nova mesa diretora, composta pelo presidente Enis Gordin (PRB).

Um cidadão fez uma denúncia dizendo que a vereadora cometeu crime de prevaricação – saber sobre algo ilícito e não denunciar. Por 10 votos a cinco, a CPI para investigar as acusações da vereadora foi aprovada. Com essas declarações, ela pode ainda ter ferido o decoro parlamentar e pode até mesmo perder o mandato. 

CPI. Para compor a CPI foram escolhidos os vereadores Lennon Monjardim (Podemos), Dito Xaréu (SD) e Rogério Zanon (PSB). Eles ainda vão decidir quem será o presidente, o relator e o membro da CPI. 

Deixe seu comentário