Por conta dos poderes medicinais de suas areias monazíticas Guarapari ficou conhecida como “Cidade Saúde”. Mas, infelizmente, não tem feito jus a essa fama. O Portal 27 já mostrou diversos casos de cidadãos que sofrem para conseguir atendimento de qualidade na saúde pública e dessa vez vamos contar a história da animadora de festas Marciana Pinheiro, de 43 anos. Ela aguarda por uma cirurgia há 1 ano e 3 meses e agora que falta muito pouco para isso acontecer corre o risco de ter o procedimento adiada por falta de transporte.

Ela aguarda por uma cirurgia há 1 ano e 3 meses. Foto Rafaela Patrício/portal27

Marciana sofre de trombose na perna esquerda, que foi causada por um acidente de moto há dois anos. “Na época do acidente eu morava em Macaé, no Rio de Janeiro. Lá tem hospital, mas tive que vir para  cá por causa da violência. Aqui é minha cidade agora. Eu gasto meu dinheiro aqui, minha empresa gasta dinheiro aqui dentro. Só que agora com a crise nós estamos com dificuldades e com isso eu busquei me tratar aqui pelo SUS”.

Ela relatou que tentou agendar uma consulta com um angiologista no Centro de Especialidades, em Muquiçaba, mas que com a demora decidiu fazer a consulta particular. “Demorou muito e como sinto muita dor não esperei mais. Fiquei sabendo que em Vila Velha tinha uma consulta popular então  peguei o dinheiro que eu tinha e paguei R$ 80,00 por uma consulta com o doutor Edvan Clara Ferreira. Dá consulta ele me pediu vários exames, o doopler, os exames de sangue e o risco cirurgíco. Eu fiz e paguei tudo”.

Marciana sofre de trombose na perna esquerda, que foi causada por um acidente de moto há dois anos.Foto Rafaela Patrício/portal27

Domingos Martins. Após realizar o início do tratamento na rede particular, ela foi informada pela Secretaria Municipal de Saúde que sua consulta estava marcada e por coincidência era com o mesmo médico. “Liguei para o doutor Edvan avisando que a secretaria tinha liberado meu tratamento com ele, porém, seria lá em Domingos Martins.  Ele me disse para não desistir e ir mesmo sendo lá porque seria mais provável eu conseguir fazer a cirurgia e acabar logo esse sofrimento”.

A animadora de festas contou que  foi atendida no hospital Dr. Arthur Gerhardt, em Domingos Martins, no dia 23 pelo seu médico e no dia 30 por um anestesista e teve uma nova consulta marcada para definir a data da cirurgia.” Eles marcaram para que eu passe por uma nova consulta com outro médico para que ele possa autorizar a cirurgia. Só que essa consulta está marcada para a próxima terça-feira (04) às 7h15 da manhã e não tem outro horário nem outro dia”.

Marciana afirma que foi levada por um carro da Secretaria de Saúde de Guarapari para todas as consultas em Domingos Martins e depois de ter a nova consulta marcada entrou em contato para avisar que precisaria voltar ao hospital na próxima semana e foi então que os problemas começaram.

“Na quinta avisei dessa nova consulta e ontem eles me ligaram e falaram que não iriam poder me levar nesse horário. A própria secretária ligou para lá para saber se tinha possibilidade de colocar meu horário para mais tarde, tipo meio dia ou uma hora, mas eles falaram que não poderia.  Ela me ligou novamente e falou que, infelizmente, não poderia me levar e que eu teria que ir por conta própria. Eu disse que iria ver porque eu iria fazer a reinauguração de uma loja ontem, mas ficou para sábado que vem. Aí não posso pagar”.

Marciana afirma que foi levada por um carro da Secretaria de Saúde de Guarapari para todas as consultas em Domingos Martins..Foto Rafaela Patrício/portal27

Preocupada a animadora afirmou que “se eu deixar de fazer essa consulta, vai demorar mais tempo para eu fazer a cirurgia e ela é urgente. A médica que me atendeu primeiro lá no posto pediu urgência na cirurgia. Quando ela olhou minha perna se assustou e pediu para que fosse feito o mais rápido possível, mas o mais rápido já dura um ano e três meses”.

“Se fosse mais tarde, poderiam me levar então porque não me levam de manhã? Já que a saúde de Guarapari não está muito boa e eles se propõem a levar a gente até o local para fazer cirurgia ou seja lá o que for, eles tem que se virar e levar a gente.  Agora se eles não querem gastar, que ponham dentro de Guarapari um hospital que venha atender a gente aqui dentro”, desabafou Marciana.

Ela também afirmou que não quer  que as pessoas paguem seu transporte, mas sim que o município a ajude a levar o tratamento iniciado em Domingos Martins até o fim. ” Acho que a prefeitura tem que arcar com as consequências de não termos um hospital dentro de Guarapari, de não termos uma saúde decente. Eles mesmos tem que ver isso e arrumar um carro para me levar lá para que eu possa fazer minha consulta e depois a cirurgia. Ninguém tem que pagar para mim porque a gente já paga imposto para isso e temos o direito a saúde, educação e segurança e não estamos tendo isso”, finalizou.

RESPOSTA: O Portal 27 procurou a Secretaria de Saúde para saber porque o órgão não vai disponibilizar o transporte da paciente como vinha fazendo anteriormente e também porque o tratamento foi marcado para Domingos Martins e não em um município mais próximo.  Mas recebeu apenas essa resposta: A Secretaria Municipal de Saúde informa que tem conhecimento do caso e vai entrar em contato com a paciente na próxima segunda-feira, 03 de abril.

Deixe seu comentário

Comments are closed.