Carlos Von (PSDB) e Gedson Merízio (PSB) já não falam a mesma língua. Os dois que caminharam juntos no final da eleição de prefeito no ano passado, estão em rota de colisão e devem se enfrentar na eleição de deputado estadual em 2018.

Fontes ouvidas pelo Portal 27 garantem que existe um grande mal-estar entre os dois. “Von está muito chateado com a postura de Gedson, que tem feito campanha pela cidade, dizendo que Carlos Von não é candidato e que tem um acordo para apoiar Gedson.  Von soube disso e está bastante descontente”, disse uma fonte do PSDB.

Gedson e Von estão em rota de colisão e devem se enfrentar na eleição de deputado estadual. Foto: João Thomazelli/portal27

Ainda de acordo com essa mesma fonte, o único acordo que haveria entre os dois de apoio para deputado, era se Gedson fosse o vice. “Mas isso não aconteceu, pois Gedson desistiu de ser vice de Von e colocou a campanha na rua. Só depois que foi impugnado no final da campanha, veio para o nosso lado nos apoiar”, disse a fonte.

O Portal 27 conversou com Carlos Von que disse não ter conversado com Gedson sobre 2018. “A gente entende que o momento para disputar uma eleição de deputado é meu, pois saímos fortalecidos da eleição. Em momento nenhum eu sentei com ele depois da eleição para combinar alguma coisa. Se ele está falando algo nesse sentido, isso me deixa bastante chateado. Eu não autorizei ele, ou a qualquer pessoa a usar meu nome”, afirmou.

Com apoio de Casagrande, os dois que caminharam juntos no final da eleição de prefeito no ano passado

Ainda de acordo com Von, tem que haver o respeito entre pré-candidatos. “Se ele quer vir candidato a deputado estadual é um direito dele. A única coisa que eu peço é que ele faça a pré-campanha dele e deixe eu fazer a minha”, finalizou.



Gedson. Procurado para falar sobre o assunto, Gedson nega qualquer atrito com von e diz que segue orientações para fortalecimento do partido. “Eu estou caminhado. Renato Casagrande me deu uma tarefa até por causa da nova regra eleitoral, de fazer o partido acontecer. Nós temos caminhado para cumprir essa tarefa que Renato pediu. Então eu estou andando e não tenho tido nenhuma discussão com Von. Não tenho problema nenhum com ele. Se ele quiser ligar para conversar, estou à disposição”, disse.  

Gedson confirma que é pré-candidato a deputado. “Há de fato uma pré-candidatura colocada de deputado estadual, porque o PSB percebe essa necessidade para que nós possamos ter uma assembleia com pessoas ligadas ao ex-governador Renato Casagrande e ele me vê como uma dessas pessoas.  A representação nessa região de Casagrande sou eu e isso está muito claro”, diz.

Apesar dos caminhos dos dois pré-candidatos que devem se cruzar em 2018, Gedson hasteia a bandeira branca para Von. “Vivemos um momento difícil na política. Eu sou defensor de que todos esses que estão fora desse grupo político que está na prefeitura, deveriam se unir para poder disputarmos a eleição. Isso eu sou a favor, sem dúvidas”, finalizou.

Institucional MAllagutti
Institucional Basic Idiomas
Institucional Karla
Banner Marcelo
Institucional M Conveniências [banner top]

Dia D Docutum
Institucional Flex Motors [banner final]


7 COMENTÁRIOS

  1. TEM É QUE TIRAR ESSES CARGOS COMISSIONADOS, PESSOAS DESPREPARADAS, ONTEM FUI NA PREFEITURA VI O QUANTO CARGOS CONQUISTADOS MEDIANTE CONCURSO FAZEM FALTA.

  2. Gedson é o melhor candidato de Guarapari, o povo não vê isso, o que vai acontecer é: GUARAPARI NÃO TERA REPRESENTANTE NA ASSEMBLEIA PORQUE TODO MUNDO QUER UMA FATIA.. OS VOTOS IRÃO SE DIVIDIR E NÃO VAI NINGUÉMM…

  3. Tão perdendo o tempo de vocês , pois é Von na Assembléia o povo todo está com ele ? vamos chutar a vontade do safdo do Edson de colocar aquele asqueiroso do Wendel na Assembléia .

  4. São matérias como essa que mostram o desespero de uns e outros… Anderson que moral vc tem pra falar alguma coisa? Vc é um vendido ao sistema tome vergonha na sua cara rapaz lave essa boca pra fala alguma coisa sobre políticas políticas Guarapari vergonha na cara portal 27 esse jogo duplo ja ta babado

  5. Olha, sou admirador da ciência política e do dinamismo que cerca cada período eleitoral. O que não admiro são algumas falhas nas condições desses cenários e creio que Gedson com todo meu respeito acaba de cometer uma quando diz:

    “Eu sou defensor de que todos esses que estão fora desse grupo político que está na prefeitura, deveriam se unir para poder disputarmos a eleição”.

    Já passou da hora de conduzirmos a política respeitando as divergências ideológicas e principalmente os lados em que se encontram cada um, mesmo porquê na última disputa eleitoral a crítica era contra os estadistas que se encontravam no poder naquele momento, se a união se der por aqueles que estão fora hoje, pode se dizer que os grupos serão os mesmos da gestão passada? Sem aqui tecer críticas aquela gestão.

    Sugiro que façamos uma política cidadã, com conteúdo programático(que até o momento não observei) e com o máximo de respeito a todos os lados, a situação, oposição, ideologias e eleitores não participantes de gestão e partidos.
    Fica a dica!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here