Na tarde desta terça-feira (20), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso de um coquetel de medicamentos para tratar a covid-19. Ao contrário das vacinas, que servem para prevenir a doença, este conjunto de remédios irá neutralizar a carga viral e os benefícios devem ser percebidos no segundo dia após começar a usar.

O coquetel foi desenvolvido pela farmacêutica Roche, e contém os medicamentos carisivimabe e imdevimabe, porém o uso será restrito aos hospitais e a aplicação será feita de forma intravenosa, na fase inicial da doença. Segundo foi informado, o ideal é que ele seja aplicado nos 10 primeiros após o início dos sintomas.

A agência autorizou o uso emergencial do coquetel.

Por ser formado por medicamentos que têm anticorpos monoclonais, o coquetel servirá para anular a doença, ao contrário das vacinas, que são usadas para prevenir e não se infectar pela covid-19.

No entanto, o conjunto de remédios só é recomendado para os maiores de 12 anos, com peso mínimo de 40kg e que não precisem de suplementação de oxigênio, caso o paciente esteja em estado grave, não é recomendado o uso dos medicamentos.

A dose recomendada pela Anvisa é de 1.200mg, sendo 600 mg de casirivimabe e 600 mg de imdevimabe, com infusão intravenosa única. Os testes feitos mostraram que a dose de 1.200 mg do coquetel reduziu o número de hospitalizações e mortes relacionadas à covid-19  em 70,4%. Já a dose de 2.400 mg resultou em uma redução de 71,3%.

Deixe seu comentário