A atleta Fernanda Mazzelli, de 28 anos, da equipe Striker de Jiu-Jiu-jitsu, foi eleita a terceira melhor lutadora do mundo em um evento promovido pela International Brazilian Jiu-Jiu-jitsu Federation (IBJJF). O ranking das dez melhores foi realizado no último dia 03 em Long Beach, na Califórnia, Estados Unidos.

“O ano do Jiu-Jitsu começa logo após o mundial, que é quando começam a ser realizados os primeiros campeonatos e vai até o próximo mundial. Então é o primeiro campeonato depois do mundial e um antes dele que conta pontos. Aí você vai lutando e somando pontos. Depois tem a premiação do primeiro até o décimo colocado feminino e masculino. Do primeiro ao terceiro lugar recebe uma premiação em dinheiro e do quarto até o décimo é só o reconhecimento do trabalho”, explicou a atleta que também é vereadora na cidade.

O ranking da International Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF) elegeu as dez melhores atletas do mundo e Fernanda Mazzelli ficou em terceiro lugar.

Fernanda é faixa preta e tricampeã mundial na categoria adulto pesado. O terceiro campeonato mundial ela ganhou no ano passado, disputado também na Califórnia. Este ano o mundial aconteceu entre os dias primeiro e 04 de junho e a atleta capixaba perdeu a semifinal para Claudia Doval, que acabou sendo a campeã.

“Agora é esperar para ano que vem treinar mais e ver meus erros. Cada vez vai ficando mais difícil porque vai subindo as novatas e a gente vai ficando mais velha. As que estão subindo vem com toda a força e vontade e o Jiu-Jitsu vai mudando então tem essa rotatividade de campeãs e campeões”, afirmou Fernanda.

Ela também falou sobre as dificuldades que os atletas enfrentam. “A gente tem toda uma dificuldade com o gasto com passagem, hotel e carro. Como é um esporte não olímpico o atleta que paga suas despesas aí tem patrocínios que ajudam. Mas só da gente estar indo é uma glória”.

Fernanda é tricampeã mundial de Jiu-Jitsu e este ano perdeu a semifinal para a lutadora Cláudia Doval, que se consagrou campeã este ano.

Segundo Fernanda, apenas 4 atletas do Estado do Espírito Santo participaram do mundial, sendo um homem e três mulheres, ela, Yara Soares do Nascimento, de 21 anos, e Maria Eduarda Medeiros Berger, de 15 anos. Todas três são de Guarapari, fazem parte da equipe Striker de Jiu-Jitsu e ficaram em terceiro lugar em suas categorias.

As discípulas de Fernanda: O Mundial de 2017, promovido pela International Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF), foi o primeiro campeonato no exterior que a faixa amarela Maria Eduarda Medeiros Berger disputou em três anos no esporte. Mas ela foi campeã no Campeonato Brasileiro de 2016 na categoria infanto-juvenil peso médio e campeã Mundial em 2016. Ambos os campeonatos foram organizados pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE) e realizados em São Paulo.

Maria Eduarda, de 15 anos, conquistou o terceiro lugar da categoria juvenil peso leve no Mundial de 2017.

“Fiquei muito feliz, pois, nunca imaginei que poderia chegar até aqui com apenas 15 anos. Vim em busca do lugar mais alto no pódio, mas nem por isso, devemos desaminar, Deus sabe de todas as coisas e tudo nessa vida tem um momento. Sei que o meu está por vir e isso é só o começo de uma longa jornada pela frente”, afirmou a lutadora sobre a conquista do 3º lugar.

Yara Soares, de 21 anos, ficou em terceiro lugar na faixa azul categoria adulto pesadíssimo do Mundial 2017.

Já Yara Soares do Nascimento é mais experiente. Ela treina Jiu-Jitsu há três e meio, é faixa azul e conquistou o terceiro lugar no mundial deste ano na categoria adulto pesadíssimo. Entre os títulos conquistados por ela estão o de vice-campeã Mundial em 2016, campeã Sul-Americana de 2016, vice-campeã Brasileira de 2016, campeã Pan-Americana de 2017.

Mesmo não tendo conquistado o primeiro lugar, Yara está muito orgulhosa do título que ganhou. “Fiquei muito feliz pois muitos sonham em estar no pódio do Mundial e hoje estou entre as 10 do ranking mundial na faixa azul”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.