As novas cédulas de dois e cinco reais da segunda família do real começaram a circular no último dia 29. Essas notas em especiais terão uma camada protetora contra sujeira, disse o diretor de Administração do Banco Central (BC), Altamir Lopes. A proteção tem como objetivo impedir o desgaste rápido das cédulas, que são as mais manuseadas, por serem de baixo valor.

A nota de dois reais permanece na cor azul, porém em um tamanho menor, já a nota de cinco reais, vais seguir no mesmo padrão com o tamanho diferenciado e na cor lilás. O principal motivo das notas serem de tamanhos diferentes é garantir a acessibilidade das pessoas com deficiência visual ao dinheiro brasileiro, oferecendo um recurso confiável para reconhecimento e diferenciação das cédulas.

Algumas pessoas que já receberam as cédulas novas acharam que estavam recebendo notas falsas. Foto: Banco Central
Algumas pessoas que já receberam as cédulas novas acharam que estavam recebendo notas falsas. Foto: Banco Central

Além disso, a adoção de tamanhos diferenciados inibe a tentativa de falsificação por lavagem química. Além dos tamanhos diferentes, os portadores de deficiência visual também podem contar com outro recurso para identificar os valores das notas: as marcas táteis, que são barras em alto-relevo localizadas no canto inferior direito das notas.

Em julho de 2012, o Banco Central colocou em circulação as novas cédulas de R$ 10 e R$ 20 – que deverão substituir as notas antigas. As cédulas de R$ 50 e R$ 100 da nova família do real já estão em circulação desde 2010. As notas antigas vão continuar valendo e sendo trocadas em todo o país, ficando em circulação até que as antigas cédulas sejam tiradas e trocadas.

Essas cédulas contêm elementos de segurança mais modernos, que dificultam a falsificação. Entretanto, segundo o Banco Central, sempre que há lançamento de cédulas, aparecerem falsificações, pois a população ainda não conhece bem as novas notas e não verifica seus elementos de segurança, o que facilita a colocação dos exemplares falsos. Essa ocorrência tende a diminuir à medida que a população passa a conhecer melhor as cédulas e a verifica-las.

Portanto, após conferir os principais itens de segurança, e suspeitar de uma nota falsa, recuse-a. Caso tenha recebido, sem perceber, o cidadão não deve passar a nota adiante. A nota deve ser encaminhada para exame na rede bancária, que fornecerá o recibo de retenção.

Deixe seu comentário