Começou hoje a paralisação dos servidores públicos municipais de Guarapari. Os grevistas se concentraram na Praça Philomeno Pereira Ribeiro (Praça da Itapemirim), em Muquiçaba, para assinar o ponto e protestar contra a prefeitura. Em seguida eles foram em passeata até o Centro da cidade.

Cerca de 600 servidores se concentraram na Praça da Itapemirim, em Muquiçaba.
Cerca de 600 servidores se concentraram na Praça da Itapemirim, em Muquiçaba.

Cerca de 600 servidores de vários setores da prefeitura participaram do protesto. “A adesão à greve foi muito boa. Só não foi maior porque alguns servidores são ameaçados por seus chefes e ficam com medo de represálias caso entrem em greve”, afirmou Rosemary Abud, diretora do Sintrag.

Nesta segunda-feira vários órgãos públicos amanheceram com adesivos avisando sobre a greve. A paralisação foi mais sentida pela população nas Unidades de Saúde dos bairros. Várias delas sequer funcionaram e as que abriram estavam com pessoal reduzido. Algumas escolas tiveram que liberar os alunos mais cedo porque os funcionários da limpeza e as merendeiras aderiram à paralisação.

Os servidores seguiram em passeata até o Centro de Guarapari. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Os servidores seguiram em passeata até o Centro de Guarapari. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“É importante para o gestor perceber que o servidor municipal está insatisfeito com a atual situação. É o funcionário efetivo da prefeitura que faz o município funcionar”, desabafou Abud.

A greve foi declarada no último dia 02 depois de uma assembleia dos servidores. A categoria alega que a prefeitura não abriu um canal de diálogo com o sindicato.

Nesta terça-feira os servidores se reunirão novamente a partir das 13 horas no mesmo local e de lá seguirão até a Câmara dos Vereadores.

Entre as demandas dos servidores municipais está a correção de 8% mais 10% de aumento real nos salários. Além disso, eles querem que o vale alimentação passe dos atuais R$ 100 para R$ 250 e o ticket feira passe de R$ 30 para R$ 50.

Resposta da Prefeitura

A prefeitura de Guarapari emitiu um comunicado à imprensa na tarde de hoje sobre o assunto. Confira abaixo:

Com relação a greve deflagrada pelos servidores públicos de Guarapari, a prefeitura vem a público explicar que respeita o direito de greve dos servidores, mas entende que a mesma foi iniciada em momento inadequado, em razão da grave crise econômica enfrentada em nível nacional. Estados e municípios foram afetados com a redução dos repasses de verbas federais, o que reflete numa considerável redução dos investimentos em diversos setores na cidade.

A Prefeitura também está em regime de contenção de gastos, conforme comunicados publicados anteriormente e, ainda assim, está oferecendo um aumento de 4% aos salários dos servidores, limite possível de ser executado sem que haja comprometimento da saúde financeira do Município, e de forma a obedecer a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Reajustes concedidos.

Dentro das possibilidades do município e sem comprometer o orçamento, a atual administração, além de manter, rigorosamente, os pagamentos do funcionalismo em dia, já concedeu 02 reajustes anuais. Um em 2013, de 10%, e outro em 2014, de 6%, totalizando 16% sobre a tabela de vencimentos. Somado aos reajustes, foi implantado, em maio de 2013, o vale-alimentos, no valor de R$100,00, creditado junto ao salário do servidor, e também, o Ticket Feira, em 2015, que criou um benefício extra, destinado a todos os servidores efetivos.