Após o afastamento do vereador Dito Xaréu (SDD), ocorrido na Câmara de Guarapari na última quinta-feira (13), por suposta participação em pedidos de propina, divulgadas através de áudios de WhatsApp, respeitando o que determina o Regimento Interno da Casa, foi realizado um sorteio para compor a Comissão Processante (CPI), que vai investigar o caso. Os vereadores Fernanda Mazzelli (PSD), Marcos Grijó (PDT) e Wendel Lima (PSD) foram sorteados.

Comissão. Após o sorteio, a sessão foi interrompida por 10 minutos para que os três parlamentares definissem quem seria presidente, membro e relator da Comissão. Ao retornar, eles informaram que a vereadora Fernanda Mazzelli será a presidente e os vereadores Wendel Lima e Marcos Grijó serão membro e relator, respectivamente.

Vereadora Fernanda Mazzelli será a presidente e os vereadores Wendel Lima e Marcos Grijó serão membro e relator, respectivamente.

Culpado ou inocente? “Esse processo não é tão simples porque envolve um colega parlamentar, mas a Comissão foi formada e vamos investigar se o mesmo pode ser acusado de alguma forma ou se é inocente. Como meu nome foi sorteado, vou fazer o meu melhor para mostrar para a população a verdadeira história. Vamos marcar nossa primeira reunião e decidir tudo em conjunto pelos três vereadores e dar a transparência que todos nós queremos”, afirmou Fernanda Mazzelli, presidente da Comissão.

Respostas. Grijó ressaltou a importância de a investigação também ser realizada pela Comissão. “Essa investigação é importante porque a sociedade exige uma resposta dos parlamentares. Se ele for culpado, vai perder o mandato. Mas, toda essa documentação foi entregue ao Ministério Público e nós estamos fazendo a investigação política que envolve a quebra de decoro parlamentar”, disse o relator.

*com informações da Câmara de Guarapari