Ao lado de Viana e Cariacica, a cidade de Guarapari está entre as três cidades capixabas que menos gastaram por aluno no ano de 2018, de acordo com o Anuário Finanças dos Municípios Capixabas. A informação foi divulgada pelo jornal A Tribuna no último domingo (11).

Com uma rede municipal que contabiliza 20.298 alunos, o investimento de Guarapari por aluno foi de   R$ 4.918,91. Segundo a matéria, Guarapari é a cidade que menos gastou com educação por aluno no ano passado.

Dos municípios que menos gastaram, Guarapari é seguida por Ibatiba que gastou, por aluno, R$ 5.009,32 e São Gabriel da Palha, com gasto de R$ 5.069,34. Viana teve um gasto por aluno de R$ 5.155,29 e Cariacica R$ 5.163,05 por estudante.

O investimento de Guarapari por aluno foi de   R$ 4.918,91.

Kennedy. Segundo a reportagem, esses valores ficam bem abaixo das cidades que mais investiram como Presidente Kennedy que investiu R$ 26.186,04 por aluno. Para se chegar a esse cálculo de quanto foi gasto por aluno, o Anuário pegou o valor total que as cidades destinaram a educação em 2018 e dividiu pelo número de matrículas daquele ano. Guarapari investiu mais de R$ 97 milhões (R$ 97.295.953,19) na educação, ficando em oitavo lugar no Estado. Mas ficou em primeiro lugar como a que menos gastou por aluno.

Baixo investimento. Na reportagem, o professor Tiago Melo, que atua na educação municipal há 7 anos, explica que o baixo investimento se deve à falta de valorização dos profissionais. “Esse resultado só vem confirmar que as atitudes do poder público não são as mais eficazes. Para que a educação aconteça, é preciso investir nos professores. Os professores são os atores da educação. Alguns professores trabalham em três horários, para que possam ter uma qualidade de vida melhor. Com um salário melhor, o professor se dedicaria exclusivamente e melhor aqueles alunos”, disse o professor, que também é um dos diretores do Sindicato que defende a categoria.

Respostas. Em entrevista ao jornal, a secretária municipal de educação, Sonia Meriguete, esclareceu que o anuário acaba sendo injusto para o município, já que a cidade possui uma arrecadação pequena, em relação ao grande número de estudantes. “Nossos investimentos são de acordo com a arrecadação. Somente em 2018, investimos 29,73% da arrecadação, mais do que o exigido pela legislação”, explicou.

Ainda de acordo com a secretaria de educação, este ano foi lançado concurso público para a categoria, se paga o piso salarial exigido, foi inserido um nível a mais de cargos e salários para quem tem doutorado, e nos últimos três anos foram repassados 14,98% de reajuste para o magistério.

Presidente da Comissão, vereador Marcos Grijó (PDT)

Câmara quer explicações. Após a repercussão dessa matéria, a Câmara Municipal de Guarapari vai convocar a secretária municipal de Educação, Sônia Meriguete para prestar esclarecimentos para Comissão de Economia e Finanças.

A reunião que será realizada na próxima quarta-feira (21), às 10h. A convocação foi solicitada pela Comissão no requerimento nº 398/2019, aprovado na sessão ordinária desta quinta-feira (15).

Preocupação. O presidente da Comissão, vereador Marcos Grijó (PDT), explicou que. “Saiu uma matéria no jornal A Tribuna que mostra que Guarapari está entre os três piores municípios em investimentos em educação por aluno. Nos surpreende essa matéria uma vez que o orçamento em educação em Guarapari é no valor de R$ 107 milhões para 2019. Em 2018, que é o ano de referência do Tribunal de Contas, o valor foi de R$ 113 milhões. Então existe uma preocupação muito grande de onde estão sendo aplicados esses recursos”, disse o vereador.

Deixe seu comentário