O Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente a Mineração denuncia o valor gasto pela Samarco na veiculação da campanha publicitária “É sempre bom olhar para todos os lados” durante o programa Fantástico, da Rede Globo. De acordo com o comitê, a mineradora pagou cerca de R$ 3,3 milhões para exibir a propaganda, que traz relatos de funcionários e moradores de regiões atingidas sobre as ações da empresa após o desastre em Mariana, ocorrido no dia 05 de novembro.

campanha publicitária samarco fantástico
A Samarco gastou cerca de R$ 3,3 milhões para exibir a propaganda no Fantástico. Foto: Reprodução/Facebook

A entidade afirma que um anúncio nacional de 30 segundos no intervalo do Fantástico custa R$ 550.200,00. Como o comercial da Samarco tinha um minuto, cada inserção custou R$ 1.100.400,00. Três inserções nacionais ocorreram no programa do dia 14, ou seja, a empresa pagou R$ 3.301.200,00 pelos três minutos de exibição da propaganda em nível nacional durante um dos programas de maior audiência da TV aberta.

Foto: Reprodução/Canal da Samarco no Youtube
A mensagem acima aparece no final da exibição do vídeo da campanha. Foto: Reprodução/Canal da Samarco no Youtube

O comitê descreve o que poderia ser feito com esse dinheiro investido: “A Samarco poderia ter comprado 17 casas em Bento Rodrigues, para indenizar famílias que tiveram suas casas destruídas pela mineradora, ou pago o salário mínimo mensal acordado com o MP (e que não tem sido cumprido) de pagar um salário mínimo a 3.750 pescadores atingidos. Ou comprado ainda 3,3 milhões de litros de água mineral para a população de cidades como Governador Valadares, que não tem água segura para consumo humano na rede de abastecimento, pois o local de captação foi totalmente contaminado pela lama. E cidades onde a Samarco briga na justiça para não entregar mais água mineral”.

De acordo com o G1 de Minas Gerais, o Ministério Público Federal do Estado (MPF-MG) encaminhou à Samarco um ofício questionando o valor gasto com a campanha em diversos veículos de comunicação. O ofício foi enviado para a mineradora na última quinta-feira (18). Até a tarde de ontem (22), a Samarco disse que não havia sido notificada.

Ainda segundo o G1 de Minas, procuradores do MPF estranharam o fato da Samarco alegar dificuldades financeiras e ao mesmo tempo bancar uma campanha publicitária do porte e em horário nobre.

Confira o vídeo da campanha veiculada: