Se você não pode acompanhar a sessão de ontem (25) da Câmara de Guarapari, o Portal 27 traz os detalhes para você. Foram apresentados 13 requerimentos. Destes, 12 pediam melhoria na infraestrutura da cidade. Os projetos de lei foram baixados às comissões.

Infraestrutura

Na sessão, os vereadores mais uma vez mostram que a infraestrutura do município é alvo dos parlamentares. Dos 13 requerimentos apresentados, 11foram direcionados a melhorias da área.

Lincoln Bruno pediu que as ruínas da Igreja Velha, que fica no morro da Cesan, sejam restauradas. Segundo ele, o espaço está sofrendo com o descaso. “As ruínas fazem parte da nossa história. Foram tombadas como patrimônio histórico e agora está em estado deplorável”, afirma.

Fernanda Mazzelli quer a instalação de lixeiras no bairro Portal Clube. Já Thiago Paterlini pediu a revitalização das obras da orla da Praia da Sereia. “É necessário que a Secretaria de Obras faça um levantamento dos pontos fracos e fortes da cidade, para fazer a manutenção e evitar licitação de obras que não precisariam ser feitas se tivessem esse cuidado”, explica.

Serjão solicitou o asfaltamento da Rua Nossa Senhora da Penha, em Santa Mônica. “Já pedimos isso na gestão passada e nada foi feito até agora na Rua Nossa Senhora da Penha. Além disso, tem um buraco em frente à escola Francisco Araujo, em Perocão, aberto a meses. Já cobrei várias vezes e o buraco continua lá.

O parlamentar Oziel pediu pavimentação em todas as ruas de Jardim Guarapari, a instalação de placas de informação com o nome das mesmas e que a taxa de iluminação do bairro seja suspensa até que sejam instaladas as luminárias. Ele também requereu um agente de saúde para atender a comunidade.

“A Escelsa é uma empresa idônea, mas têm coisas em Guarapari que acontecem e eu não consigo entender. Os moradores pagam a taxa de iluminação pública e estão no breu total. Eu tenho provas. Fotografei as contas com as taxas e a rua a noite. É tudo escuro”, avalia.

IMG_20140225_161222

Jair Gotardo cobrou a limpeza na área de mato da Praia do Riacho. De acordo com o vereador, havia muitos detritos no local. “Queria agradecer a CODEG, pois acabei de receber a informação de que a limpeza do local já começou a ser feita”, disse.

Gedson quer a construção de uma rampa de acesso a cadeirantes em frente a faixa de pedestres do Beco da Fome, entre a Lanchonete Sonho de Mel e o Restaurante do Bolinha, na Avenida Joaquim da Silva Lima, no Centro. Já Aratú, deseja a extensão da Avenida Vinha Del Mar, próximo ao Condomínio Village do Sol, em Nova Guarapari.

“A Cesan abriu a rua 80%. A Prefeitura podia aproveitar que a empresa abriu o espaço e não fechou para abrir de vez. A pessoa não consegue chegar a orla por ali”, conta.

Jorge Figueiredo solicitou a construção de um muro de arrimo na Rua Lacerda Aguiar, em Kubistchek. “Lamentavelmente, uma rua que foi asfaltada a menos de um ano, após as fortes chuvas da semana passada, cedeu. Metade da rua desceu e o local ficou intransitável”, explica.

Germano Borges reiterou o pedido das últimas semanas dos vereadores Jair e Jorge para que seja feita a contratação de zeladores para as praças e para que seja feita a conservação das mesmas. Além de requerer a manutenção dos calçadões da Praia do Morro e do Centro.

Educação

Apesar de a infraestrutura na cidade chamar a atenção dos moradores, as outras áreas também entram em pauta. Dois dos requerimentos apresentados hoje (25) foram direcionados a melhoria na educação do município.

Dito Xáreu quer a reforma da CEMEI Lúcio Rocha de Almeida, na Enseada Azul, com a construção de recreação e área de refeição. “Esse não é um pedido só meu, é da comunidade também. A gente viu a necessidade da reforma dessa creche para a região”, conta.

Já Ronaldo Tainha, cobrou a implantação do programa que atende em período integral a todos os alunos nas EMEIS. “Fui informado no ano passado, em 2013, que o projeto seria implantado este ano. Já estamos no fim de fevereiro e nada”, explica.

Protesto

IMG_20140225_152941

Moradores de uma rua no bairro Itapebussu, conhecida como Rua Ginásio do Polivalente, estiveram na Câmara para protestar contra o corte das árvores no local (entenda o caso). Os vereadores se colocaram a disposição para ajudar no que for preciso e disseram não concordar com a retirada.

Deixe seu comentário