O presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM-ES), Severino Dantas Filho, informou que após sua visita na UPA em Julho quando os médicos denunciaram as condições precárias do nascimento de bebês e outras irregularidades, o órgão entrou com uma ação na Justiça Federal pedindo providências com relação à Unidade.

presidente
Severino: “Que a população receba melhores condições de atendimento”. Foto: Divulgação.

“Nós estamos aguardando a decisão da justiça e esperamos que com a instalação do Hospital de Cachoeiro na Praia do Morro a população receba melhores condições de atendimento”, disse Dantas.

Demora de mais de 6horas em UPA de Guarapari

Os pacientes que procuraram a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Ipiranga em Guarapari na última sexta-feira (25) tiveram de esperar até seis horas para ser atendidos. A administradora da Upa disse que dois partos que ocorreram na unidade e contribuíram com os atrasos, além da falta de um médico que passou mal e não foi trabalhar.

A aposentada Altemes Francisca da Conceição, 68 anos, chegou à UPA às 8h e foi embora às 14h25 sem receber atendimento. Altemes esta com uma ferida na perna direita, ocasionada pelo rompimento de varizes. “Não durmo a noite de tanta dor, desisti de esperar”, disse Altemes.

A zeladora Nilceia André de Paula, 42 anos, levou suas duas filhas de 15 e 16 anos, que estavam com sintomas de febre, vômito e dores no corpo, além de desmaio e disse que a demora no atendimento é constante. “A saúde de Guarapari precisa melhorar e muito. Estamos pedindo socorro”, lamentou.

G
Unidade vive lotada. Foto: Rosimara Marinho.

Enquanto a reportagem esteve na UPA, uma gestante chegou com sintomas de trabalho de parto. A dona de casa, Ademilce do Nascimento, 22 anos, contou que espera ter seu filho em um hospital. “Aqui não oferece as devidas condições, se tiver tempo prefiro ir para um hospital”.

A administradora da UPA, Ângela Barreto, informou que o atendimento foi comprometido porque um médico passou mal e ela não conseguiu outro para cobrir sua falta. No entanto, acrescentou que a situação se normalizaria a partir das 19h, com a chegada da outra equipe de médicos. “O paciente que tem classificação menos urgente pode esperar até 4horas, de acordo com o protocolo de Manchester e hoje ocorreram dois partos, por isso houve essa demora”, disse Ângela.

 

Deixe seu comentário