Após repercussão da decisão do MP em pedir que o prefeito de Guarapari devolva aos cofres públicos o valor de R$ 157 mil reais, em função de irregularidades na contratação de artistas locais para o “Esquina da Cultura”, foi a vez da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara ter sua primeira reunião.

A Comissão foi formada para investigar a denúncia de irregularidades na realização de shows em Guarapari e se reuniu nessa quarta-feira (21). A denúncia foi realizada por Jorge Egbert Weytingh Júnior, da ONG Transparência Guarapari.

Na ocasião, a Comissão decidiu que as reuniões vão acontecer em quartas alternadas, às 14h. A investigação está sendo realizada pelos vereadores Denizart Luiz (PSDB) , Clebinho Brambati (PTB) e Thiago Paterlini (MDB), que são presidente, relator e membro, respectivamente.

A investigação está sendo realizada pelos vereadores Clebinho Brambati (PTB) Denizart Luiz (PSDB) e Thiago Paterlini (MDB), que são presidente, relator e membro, respectivamente.

Eventos. De acordo com o vereador Denizart Luiz, presidente da CPI, a ação do Ministério Público mostra que o trabalho da CPI precisa de atenção. “Foram as denúncias que recebemos. O artista vai tocar, e lá no Diário Oficial está escrito que ele recebeu 60, 80 mil reais, mas nas mãos dele chegou 3, 4 mil. Não é somente na Esquina da Cultura, a suspeita é que isso estava acontecendo em todos os eventos. O dinheiro público é um dinheiro sagrado”, afirmou.

Improbidade. O vereador Clebinho Brambati também reforçou a necessidade da investigação. “A primeira impressão que temos é que precisamos investigar as irregularidades. Agora, com a manifestação do MP de que há indícios, vamos seguir com as pautas da CPI para convocar os envolvidos e por fim, vamos fechar esse relatório. Se houver indícios de irregularidades, os envolvidos serão punidos por improbidade”, afirmou o vereador Clebinho Brambati.