Cultura por definição é o conjunto de elementos formadores de uma civilização como Moral, Religião, Lei e Artes e que, após estabelecidas, regem de forma categórica as vertentes seguidas ou intencionadas por essa civilização.

Estabelecer como Cultura um procedimento lícito ou não, que substancialmente encerraria quaisquer chances de perpetuação do contingente civilizatório é um conceito que não faz o menor sentido. Como o absurdo conceito de “cultura do estupro”, que segue a risca elementos de auto sabotagem ensimesmada, cumprindo plenamente esse papel.

Não obstante o Modus Operandi nacional apoiar-se nas muletas do conceito quase tratado como oração – “Tudo que não sei, ou nunca ouvi falar, passa automaticamente a não existir” – assim tornando essa areia movediça cultural implacável. A dicotomia presente na elaboração dessas normas e procedimentos adotados pela justiça social contemporânea, faria Simão Bacamarte do Alienista (Machado de Assis) sentir-se um prêmio Nobel e reinando absoluto no grau máximo do intelecto, entre seus súditos.

stupid-manSenão vejamos o que seu amigo com aquela tag “Não reconheço governo golpista”, pensa:
– Quer acabar com a Polícia, diz que é fascista, mas defende a idéia de que apenas a Polícia possa usar armas;

– Diz que a cadeia não resolve, e seguindo a maluquice dos Foucaultianos de que todo presidiário é uma mera “vítima social”, quer que quem conte uma simples piada sobre gays seja preso de forma inafiançável;

– Berra bovinamente que o PT acabou com a pobreza no país, para logo em seguida dizer que o aumento da violência no Brasil é consequência da pobreza;

– Fãs de Maria Betânia cuspindo farofa pra usar a expressão “Neo-Liberais”, dizendo que o problema do mundo é o livre mercado para em seguida dizer que Cuba só vai mal por causa do embargo “econômico” norte-americano;

– Juram de pés juntos que menores de idade praticam um número insignificante de crimes e sem deixar cair a bola, arrematam que , em se reduzindo a maioridade penal, as prisões irão superlotar;

– Acham que meritocracia simplesmente não existe, senão quando podem usá-la para dizer que a Dilma ganhou única e exclusivamente por mérito;

– Defende com unhas e dentes os ideais de Benito Mussolini – “tudo para o Estado, nada fora do Estado” – e chama quem ousar ser contra de fascista;

– Apresenta-se como combatente contra os estereótipos de cor, sexo e classe social, mas enche a boca para chamar os outros de coxinha, de elite branca…

marcio-yguer
Márcio Yguer é músico, produtor musical e filósofo. Twitter – @marcioyguer Facebook – Márcio Yguer

– Claramente defende a liberação das drogas e corre para dizer que o Aécio Neves é viciado em cocaína, tendo um espasmo de realidade de que ser um drogado é mesmo ser um perdedor;

– Se corrói de raiva apenas escutando a palavra Israel e intitula a direita de nazista;

– Acha que o “consumismo” capitalista é um acinte à natureza humana, para logo em seguida defender um salário mínimo de R$ 3.000,00 ;

– Fala que impeachment é golpe mas já gritou Fora Collor, Fora FHC e hoje grita Fora Temer, Fora Cunha, Fora Alckmin, Fora Hartung…

Entendeu?
Nem eu.

Ps. Eu também Não Reconheço Governo Golpista, sobretudo fruto de Golpe Eleitoral e por isso arrancamos a Presidente de lá e arrancaremos o Temer em 2018.

Deixe seu comentário

Comments are closed.