“Desconfiamos que exista cartel em Guarapari. Quando começamos a pedir informações sobre os preços dos combustíveis, os valores caíram até R$ 0,50, mas hoje vemos preços abusivos de novo”. Estas foram as palavras do presidente da Comissão Especial de Investigação (CEI) da Câmara de Vereadores de Guarapari, Manoel couto (PT) sobre as investigações feitas até agora.

Na noite de ontem, dez representantes de postos de combustíveis que atuam no mercado de Guarapari foram ouvidos pela comissão sobre preços praticados na cidade. A CEI investiga uma possível formação de cartel para manter os preços dos combustíveis bem acima dos praticados em postos de cidades vizinhas.

Dez representantes de postos de combustíveis e a secretária de meio ambiente compareceram à reunião. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Dez representantes de postos de combustíveis e a secretária de meio ambiente compareceram à reunião. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Durante a reunião, que começou por volta das 19 horas no plenário da Câmara, alguns empresários foram questionados sobre a falta do envio de informações pedidas pela CEI, como os valores de compra e venda de gasolina nos meses de novembro e dezembro de 2014.

O presidente da CEI, vereador Manoel Couto, disse que existe fortes indícios de cartel em Guarapari. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O presidente da CEI, vereador Manoel Couto, disse que existe fortes indícios de cartel em Guarapari. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Outro ponto discutido foi a informação de que Guarapari teria vários postos de combustíveis funcionando sem licença ambiental. Na última semana a comissão recebeu um ofício informando que Guarapari possuía 33 empresas do ramo de venda de combustíveis, mas que apenas 19 delas teriam licença ambiental para funcionar.

Diante desta informação, a CEI convocou a secretária de meio ambiente de Guarapari, Jéssica Martins, para explicar os motivos para tantas empresas funcionarem sem a licença ambiental.

A secretária explicou que o ofício enviado à CEI estava equivocado e apresentou a listagem correta com 34 empresas e dentre elas, 30 possuem a licença ambiental. As outras quatro já fecharam ou só existem no papel.

A secretária de meio ambiente de Guarapari foi convocada pela CEI. Foto: João Thomazelli/Portal 27
A secretária de meio ambiente de Guarapari foi convocada pela CEI. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Ao final da reunião, o presidente da CEI, conversou com a reportagem do Portal 27 e explicou que, apesar de ter sido a primeira oitiva com os empresários, a comissão já está fazendo levantamentos de informações há pelo menos cinco meses e agora começa a confrontar as informações adquiridas com os empresários.

“Desconfiamos que exista cartel em Guarapari. Quando começamos a pedir informações sobre os preços dos combustíveis, os caíram até R$ 0,50, mas hoje vemos valores abusivos de novo. O que nós queremos é dar uma resposta para a sociedade. Nós não podemos permitir que isso continue acontecendo”, declarou o vereador.

Empresários

A reportagem do Portal 27 conversou com Carlos Hoffmann Pádua, proprietário do posto de combustível mais antigo de Guarapari.

“O vereador foi infeliz na fala dele. eu o respeito como parlamentar, mas ele não pode afirmar isso. Em Guarapari se pratica o preço de mercado. Em Vitória e Vila Velha, está acontecendo uma guerra de preços sem precedente. eles vende o combustível a um preço mais baixo do que nós compramos aqui. Como isso é possível?”

Deixe seu comentário