Parte da quadrilha que comandava um laboratório de cocaína que funcionava no interior de Guarapari está sendo procurada pela polícia. O laboratório foi descoberto em fevereiro e um homem foi preso. Os outros integrantes foram identificados, mas conseguiram fugir.

Após o andamento das investigações, o Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil pediu a prisão de cinco pessoas, apontadas como donos da produção da droga.  De acordo com o titular da Denarc, o delegado Guilherme Eugênio, estão sendo procurados:

Procurados. Daniel Carlos Ribeiro, 36 anos, Márcio dos Santos, 41, e Thiago dos Santos, conhecido por “Tutu”, 28, que seriam presos durante a operação na manhã de ontem, em Viana. Mas o trio descobriu através da internet, que a justiça autorizou as prisões, e fugiu a tempo.

Thiago, Daniel e o Márcio estão foragidos e são procurados pela polícia.

“Os envolvidos conseguiram concluir que haveria uma operação em breve para o cumprimento dos mandados. 38 policiais civis das delegacias de Vitória, Vila Velha e Viana foram mobilizados para a operação. E ao chegarmos em Viana, os familiares revelaram que sabiam da nossa chegada eminente, e todos foram orientados a fugir”, explicou o delegado.

Preso no fórum. Os três envolvidos souberam que os mandados de prisão expedidos, após a prisão de Leandro Traba Ferreira, 34, na terça-feira à tarde. Leandro estava no Fórum de Guarapari para averiguar o que havia em desfavor dele, e naquele momento, a prisão dele foi decretada. Os seguranças do fórum seguraram Leandro até a chegada do Denarc para o cumprimento da prisão.

“A organização criminosa já sabia das investigações em curso, e tiveram condições de ter acesso ao que vinha sendo investigado. Quando conseguimos identificar todos os envolvidos, através de seus advogados, eles descobriram que todos configuravam como réus”, explicou o delegado.

Assessor. Heder Luis Lopes, 30, o quinto nome apontado pelas investigações como integrante da indústria de drogas, foi detido em uma operação no Morro da Penha, em junho. Heder era assessor de um vereador de Viana.

Heder Luis Lopes

“O que se constatou é que a quadrilha comandada por Thiago dos Santos, produzia drogas derivadas da cocaína em Guarapari, e comercializava predominantemente em pontos de vendas às margens da BR 101, em Viana, na região conhecida como Seringal. Thiago era o chefe, Heder seu braço direito, e os demais faziam o trabalho de operários da indústria de drogas”, completa o delegado.

Foragidos. Os três são considerados foragidos, e a polícia pede ajuda para encontra-los. Qualquer informação pode ser passada através do disque-denúncia 181. “A prisão deles é importante, para fazer com que o município de Guarapari deixe de ser um local de produção e ocultação de drogas. Vamos combater esse crime na cidade”, finaliza Eugênio.