O Espírito Santo fechou o primeiro trimestre do ano de 2021 com uma redução de 15,7% nos registros de homicídios dolosos, no comparativo ao mesmo período do ano passado. Ao todo, foram registradas 290 mortes, de janeiro a março, contra 344 assassinatos nesse mesmo trimestre em 2020. O resultado representa o segundo menor desde 1996, atrás apenas de 2019, com 285.

Março apresentou uma queda de cerca de 30%, no comparativo com março de 2020, fechando os últimos 31 dias com o registro de 100 homicídios, contra 140 do ano anterior. O destaque foi a região Sul, que registrou três assassinatos no mês inteiro.

A Região Metropolitana foi a que registrou a maior redução no trimestre e apresenta o melhor resultado dos últimos 25 anos, com 131 casos, 73 a menos que o trimestre de 2020, ou redução de mais de 35%. O dado ainda fica abaixo de 2019, que era, até então, o menor da série histórica. A Região Sul também apresenta redução significativa, com 15% a menos que o ano passado, no trimestre. Norte, Noroeste e Serrana fecharam o trimestre com aumento.

Os índices foram uns dos menores, atrás apenas dos de 2019.

De acordo com o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, mesmo em meio ao momento mais grave da pandemia, as forças policiais não cessaram o combate à criminalidade, atuando em todas as frentes, seja nas ações de fiscalização da pandemia, ou nas operações policiais.

“Os servidores da segurança pública vêm se dedicando dia após dia com objetivo de reduzir os registros de assassinatos em nosso Estado, dentro das diretrizes do programa Estado Presente em Defesa da Vida. Além disso, atuam todos os dias nas fiscalizações dos decretos de combate à pandemia da Covid-19. Arriscam as vidas em ambas as frentes. Só temos a agradecer por esse trabalho, registrar o resultado, mas ainda temos muito a fazer nesse difícil ano de 2021”, afirmou Ramalho.

O secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, o trabalho de repressão qualificada segue sendo realizado, de forma integrada, como preconiza o programa Estado Presente.

“Os dados mostram o resultado do trabalho planejado e organizado que estamos realizando, dentro do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, com ações das nossas forças policiais e a parceria dos demais Poderes e órgãos que compõem o sistema de justiça criminal no Espírito Santo.
Seguimos no caminho certo, não só prendendo homicidas, reduzindo a impunidade e apreendendo armas, mas também realizando ações do eixo de proteção social do Estado Presente, voltadas, principalmente, para jovens residentes nos territórios de maior vulnerabilidade social”, destacou.

Redução em mortes de mulheres

O número de crimes contra a vida de mulheres também apresentou redução no primeiro trimestre de 2021. Ao todo, foram 22 casos registrados, contra 31 no mesmo período do ano passado, representando queda de 29% no Espírito Santo.

Os registros de feminicídios representam, de janeiro a março, o melhor resultado desde 2016, com 7 assassinatos do tipo no trimestre. Em 2020, o dado era de 10 casos, uma redução de 30%.

Deixe seu comentário